fbpx

Instrumento NICER na ISS Faz Mapa Completo Do Céu Em Raios-X

Essa semana, essa imagem aí acima chamou muito a atenção das pessoas. É possível ver numerosos arcos cruzando a imagem e se concentrando em alguns pontos específicos. Mas o que seria essa imagem? As rotas do tráfego aéreo do planeta? A informação navegando pela internet? O funcionamento do cérebro humano? Campos magnéticos nas regiões ativas do Sol?

Não, nada disso.

Essa imagem aí, é de fato, um mapa de todo o céu em raios-X, registrado por um equipamento da NASA, chamado de Neutron star Interior Composition Explorer, ou NICER. Esse equipamento, não é um satélite, ele fica acoplado à ISS, e nós transmitimos o lançamento dele. O principal objetivo científico do NICER necessita que ele aponte e rastreie as fontes cósmicas, à medida que a ISS orbita a Terra, a cada 93 minutos. Mas quando o Sol se põe e a noite chega no módulo orbital, a equipe do NICER continua mantendo seus detectores ativos enquanto que o equipamento desliza de um alvo para o outro, o que pode ocorrer até 8 vezes em cada órbita.

O mapa mostrado inclui dados dos primeiros 22 meses de funcionamento do NICER. Cada arca traça os raios-X, bem como sinais ocasionais de partículas energéticas, capturadas durante o movimento noturno do NICER. O brilho de cada ponto na imagem é um resultado dessas contribuições bem como o tempo que o NICER gastou olhando naquela direção. Um brilho difuso permeia o céu em raios-X, mesmo longe das fontes mais brilhantes.

Arcos proeminentes se formam porque o NICER frequentemente segue a mesma passagem entre os alvos. Os arcos se convergem em pontos que representam os destinos mais populares do NICER, ou seja, a localização de importantes fontes de raios-X que a missão regularmente monitora.

“Mesmo com um processsamento mínimo, essa imagem revela o Cyggnus Loop, uma remanescente de supernova com cerca de 90 anos-luz de diâmetro e que deve ter entre 5000 e 8000 anos de vida”, disse Keith Gendrau, o principal pesquisador da missão no Goddard Spacce Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland. “Nós estamos gradativamente construindo uma nova imagem em raios-X de todo o céu, e é possível que as varreduras noturnas do NICCER irão descobrir fontes anteriormente desconhecidas”.

A missão primária do NICER é determinar o tamanho das densas remanescentes de estrelas mortas chamadas de estrelas de nêutrons, com uma precisão de 5%, algumas delas que são vistas como pulsares. Essas medidas finalmente irão permitir aos físicos resolver o mistério sobre qual é a forma de matéria que existe nesses núcleos extremamente comprimidos. Os pulsares, estrelas de nêutrons que giram rapidamente, que parecem “pulsar” são ideais para a pesquisa e para as medidas de massa e raio e são alguns dos alvos regulares do NICER.

Outros pulsares frequentemente visitados são estudados como parte do experimento Station Explorer for X-ray Timing and Navigation Tecchnology, o SEXTANT do NICER, que usa o tempo preciso da pulsação dos pulsares para automaticamente determinar a posição e a velocidade no espaço do NICER. Isso é essencial para um sistema de GPS galáctico. Quando madura, essa tecnologia irá permitir que as sondas possam navegar de forma totalmente autônoma pelo sistema solar, e além.

No vídeo abaixo você pode ver como NICER funciona na ISS.

Fonte:

https://www.nasa.gov/feature/goddard/2019/nicer-s-night-moves-trace-the-x-ray-sky

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .