fbpx
23 de fevereiro de 2024

Imagem Mostra o Instrumento GRAAL Que Será Usado Para Melhorar As Imagens Obtidas Pelo VLT do ESO


Essa imagem mostra uma parte da equipe do instrumento GRAAL, inspecionando a montagem mecânica do GRAAL na sala de integração da sede do ESO em Graching bei Munchen, na Alemanha. O GRAAL que será instalado no Very Large Telescope do ESO em Cerro Paranal no Chile, é desenhado para melhorar a visão da já excelente câmera HAWK-I do VLT.

A sigla GRAAL significa GRound layer Adpatative optics Assited by Lasers. Esse instrumento usa a técnica de óptica adaptativa para melhorar a qualidade das imagens compensando a turbulência das camadas inferiores da atmosfera até uma altitude de 1 quilômetro.

O GRAAL fará parte da próxima geração de Adaptative Optics Facility, ou AOF. O VLT já usa poderosos raios lasers para criar uma estrela artificial guia, a 90 quilômetros acima da atmosfera. O sistema atual de óptica adaptativa usa essa estrela guia como referência para remover o efeito de turbulência na atmosfera fazendo com que as imagens fiquem mais nítidas, quase como se o telescópio estivesse no espaço.

A próxima geração de AOF, contudo terá não menos que quatro estrelas guias de laser, lançadas diretamente do Yepun, o quarto Unit Telescope do VLT. O GRAAL captura sua luz com quatro sensores, e então ajusta a forma de um espelho deformável a uma taxa maior que 1000 vezes por segundo para compensar o efeito de borrão da atmosfera. Esse espelho que é parte da atualização do AOF, é de fato uma substituição completa para o espelho secundário de 1.1 metros do telescópio, e será o maior espelho deformável já construído. Combinado com as múltiplas estrelas guias de laser, o instrumento permitirá correções melhores num campo de visão maior.

O GRAAL será acoplado à High Acuity Wide fiel K-band Imager (HAWK-I), já instalada no telescópio Yepun. Atualmente a HAWK-I opera sem o sistema de óptica adaptativa. A instalação do GRAAL irá melhorar a nitidez das imagens obtidas com a HAWK-I e reduzirá os tempos de exposição necessários por um fator de 2.

Após testes recentes de sucesso, das principais partes do conjunto mecânico, o sistema óptico será agora acoplado na sede do ESO. Espera-se que o instrumento chegue ao Paranal no final de 2013.

Fonte:

http://www.eso.org/public/images/potw1145a/


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo