Iluminação Diferenciada Revela Feições Escondidas na Região da Cratera Ptolomeu na Lua

Mesmos lugares já conhecidos da Lua e fotografados anteriormente, são animadores de se ver novamente, especialmente se conseguirmos observar algo que não tínhamos percebidos numa primeira vez. Essa bela imagem da Lua com o Sol baixo iluminando a região da Ptolemaeus revela os famosos discos – depressões rasas que existiam antes da cratera ser coberta pelo material ejetado na formação da Bacia Imbrium. Na parte final norte do interior estão cadeias, fendas e crateras secundárias da jovem e brilhante Herschel. No canto sudoeste do interior da Ptolomeu existe algo que poucos prestam atenção e só alguns observam numa primeira olhada nessa região, um aglomerado de dezenas de colinas brilhantes. A imagem feita pela câmera WAC da sonda LRO mostra que essas são na verdade um grupo de colinas, mas não irradiam mais luz na sua origem. Olhando para o sul da Alphonsus, a cratera é praticamente totalmente coberta com sombras exceto pelo pico central e pela iluminação que chega até ela pelo oeste do interior. Existe também um pedaço triangular ao sul e a leste do pico que recebe uma certa iluminação. Esse tipo de padrão de iluminação é que no passado pode ter sido relatado como gás transiente ou névoa.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/May+13%2C+2011

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo