HÍGIA – O MENOR PLANETA ANÃO DO SISTEMA SOLAR | SPACE TODAY TV EP2001

COMPRE O BONÉ TRUCKER NA SPACE TODAY STORE E GANHE UMA CANECA DE PRESENTE:

https://www.spacetodaystore.com/bones/bone-trucker-space-today/

————————————————————————————————————

CONFIRA O CURSO DE ASTRONOMIA DO SPACE TODAY, MAIS DE 60 HORAS DE CONTEÚDO FALANDO SOBRE TUDO DA ASTRONOMIA, MATRICULE-SE JÁ:

https://academyspace.com.br/big-bang/

————————————————————————————————————

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

————————————————————————————————————

Planeta anão, um tema sempre polêmico e sempre quando se toca nesse assunto, vem na nossa mente Plutão.

Mas não é só Plutão que é planeta anão no Sistema Solar, e também não é só no Cinturão de Kuiper que eles estão localizados.

No Cinturão Principal de asteroides do Sistema Solar, temos um planeta anão que já foi muito estudado pela sonda Dawn, o famoso Ceres.

Mas existem outros, ou melhor, será que existem mesmo?

Primeira coisa, o que seria um planeta anão?

Um objeto precisa respeitar 4 requisitos para isso.

Orbitar o Sol, não ser satélite de nenhum planeta, não ter a órbita limpa e ser esférico, ou seja, estar em equilíbrio hidrostático.

Os três primeiros requisitos são fáceis de serem analisados, mas o quarto requisito é um pouco mais complicado, pois precisa da observação direta do objeto.

E assim, usando esses requisitos e o poder do telescópio VLT do ESO e do SPHERE o instrumento acoplado nele, que os astrônomos resolveram estudar o asteroide Hígia, que fica no Cinturão Principal de asteroides.

Hígia, já cumpria 3 dos requisitos para ser planeta anão, e com o SPHERE e com o VLT os astrônomos conseguiram fechar os 4 pontos para isso.

Então, com as observações, os astrônomos notaram que Hígia é esférico se enquadrando na classificação de planeta anão.

Além disso eles conseguiram medir seu diâmetro, cerca de 430 km, enquanto que Plutão tem 2400 km e Ceres, 950 km.

Uma coisa chamou os astrônomos nas observações, Hígia não apresenta uma grande cratera de impacto, o que era de se esperar já que a sua formação se deu através da ruptura de um mesmo corpo dando origem a uma família de asteroides com cerca de 7000 membros.

Na superfície de Hígia, só foram identificadas duas crateras de impacto, porém pequenas e que não estão de acordo com esse corpo gigantesco que se partiu.

Os astrônomos resolveram investigar mais a fundo e partiram para as simulações computacionais.

com as simulaçòes eles deduziram que a enorme família de aseroides e a forma esférica de hígia está ligada a uma enorme colisão frontal com um projétil de diâmetro entre 75 e 150 km.

O impacto deve ter ocorrido a cerca de 2 bilhões de anos atrás.

Depois do impacto, quando os objetos se juntaram novamente, nasceu Hígia e milhares de asteroides companheiros.

Ah, o mais importante de tudo isso que eu não falei para vocês, é que com 430 km de diâmetro, Hígia é o menor planeta anão já identificado no sistema solar.

Essa detecção mostra sem dúvida alguma o poder de instrumentos como o VLT e o SPHERE, capaz de observar e estudar de forma detalhada objetos bem pequenos no nosso sistema solar.

fico aqui só imaginando o que conseguiremos ver com a nova geração de telescópios que deve entrar em funcionamento na metade da próxima década.

Estaremos aqui esperando.

fontes:

https://www.eso.org/public/brazil/news/eso1918/

https://www.eso.org/public/archives/releases/sciencepapers/eso1918/eso1918a.pdf

#Hígia #PlanetaAnão #SpaceToday

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.