Fogos de Artifícios de Formação de Estrelas Iluminam Galáxia

Imagens obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA em Julho de 1997 revelaram episódios de formação de estrelas que estão ocorrendo através da face da galáxia próxima NGC 4214. Localizada a 13 milhões de anos-luz de distância da Terra, a NGC 4214 está atualmente formando aglomerados de novas estrelas a partir do seu gás e poeira interestelar. Na imagem do Hubble, nós podemos ver uma sequência das etapas no processo de formação e evolução de estrelas e de aglomerados estelares. A imagem foi criada a partir de exposições feitas com vários filtros coloridos usando a Wide Field Planetary Camera 2 do Hubble. A NGC 4214 contém uma multitude de estrelas apagadas que cobrem a maior parte da imagem, mas a imagem é dominada por nuvens de gás brilhante ao redor de aglomerados estelares brilhantes. O mais novo desses aglomerados estelares estão localizados na parte inferior direita da imagem, onde eles aparecem à medida que aproximadamente meia dúzia de aglomerados brilhantes incandescem o gás. Cada nuvem fluoresce pois as jovens estrelas mergulhadas em seu interior emitem forte radiação ultravioleta devido ao colapso gravitacional do gás. Estrelas jovens e quentes têm uma coloração azulada e esbranquiçada na imagem do Hubble, pois sua temperatura superficial varia de 10000 até mais de 50000 graus Celsius. Em adição à emissão da luz ultravioleta, essas estrelas quentes ejetam ventos estelares rápidos, que se movem a milhares de quilômetros por segundo, e que se chocam com o gás ao redor. A radiação e a força do vento das jovens estrelas literalmente inflam bolhas de gás. Com o passar de milhões de anos, as bolhas aumentam o seu tamanho à medida que as estrelas dentro crescem e ficam mais velhas. Movendo-se para a parte inferior esquerda dos aglomerados mais jovens, nós encontramos um aglomerado estelar mais velho ao redor de um local onde uma bolha de gás foi inflada até o ponto onde existe uma óbvia cavidade ao redor do aglomerado central. A mais espetacular feição nessa imagem do Hubble localiza-se próximo ao centro da NGC 4214. Esse objeto é um aglomerado que contém centenas de estrelas azuis massivas, cada uma com um brilho 10000 vezes maior que o Sol. Uma grande bolha na forma de coração inflada pela combinação do vento estelar e da pressão da radiação, envolve o aglomerado. A expansão da bolha é aumentada à medida que a maioria das estrelas massivas em seu centro chegam ao fim de suas vidas e explodem em supernovas. Desprovidos de gás, o aglomerado no centro da NGC 4214 será incapaz de formar novas estrelas e a luminosidade continuará até desaparecer. Em qualquer lugar da galáxia, contudo, o gás começará a colapsar e formar outra nova geração de estrelas à medida que os aglomerados que vimos hoje comecem a desaparecer. As estrelas apagadas que cobrem a maior parte da imagem são muito mais velhas do que as estrelas supergigantes azuis brilhantes, e nos mostram episódios de nascimento de estrelas que estão ocorrendo na NGC 4214 por bilhões de anos.

Fonte:

http://www.nasaimages.org/luna/servlet/detail/NVA2~8~8~13035~113576?

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo