Fluxo Granular Observado na Cratera Riccioli CA

O jato de material brilhante é constituído de blocos, pedaços de rochas e pedaços pequenos de rochas. Esse conglomerado de material granulado desliza pela parede da cratera Riccioli CA em direção ao seu interior. A parte final do fluxo, localizada na parte mais interna da cratera (na parte superior esquerda da imagem), se espalha formando um pequeno leque, muito parecido com o que acontece com sedimentos úmidos no final de um leque aluvial. É impressionante como a física do material úmido (fluxo Newtoniano) em alguns casos também se aplica a materiais secos. A Lua é seca e esse deslizamento de material foi formado sem o envolvimento de água.

O deslizamento de rocha pode ter acontecido pouco depois do impacto que formou a cratera Riccioli CA ou mais tarde na história da cratera. Com o passar do tempo a forma geral da cratera mudou devido ao movimento de rocha que deslizou, escorregou e foi ejetada para dentro da cratera por outros impactos. O evento vulcânico ocasional pode também ter mudado de forma dramática  a aparência da cratera.

A cratera Riccioli CA é uma cratera com 14 km de diâmetro, localizada nas coordenadas 0.58?S e 73.01?W um pouco ao norte da cratera Riccioli. A Riccioli CA tem o mesmo nome como a cratera maior Riccioli, pois a Riccioli CA é uma cratera satélite. Crateras satélites têm geralmente o mesmo nome da cratera maior localizada na área com uma letra, ou letras depois do nome da cratera principal.

Fonte:

http://lroc.sese.asu.edu/news/?archives/397-Granular-Flow.html

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.