FAST Já Descobriu 240 Pulsares

Colocado em serviço por 300 dias, o Five-hundred-meter Aperture Spherical Telescope, também conhecido como FAST, tem mostrado a sua impressionante performance. Ela já gastou mais de 5200 horas observando o céu, e nesse período ele fez a grande marca de ter descoberto mais de 240 pulsares. Além disso, mais de 40 artigos científicos já foram publicados nas maiores revistas especializadas de astronomia no mundo usando os dados do FAST.

Uma série de grandes realizações no estudo das chamadas Fast Radio Bursts foi atingida recentemente com base nas últimas observações feitas pelo FAST. Dois artigos relevantes, foram publicados na revista Nature em 29 de outubro de 2020 e em 4 de novembro de 2020, respectivamente, colocando o gigantesco telescópio chinês no centro da rádio astronomia mundial.

As fast radio bursts, são pulsos transientes de rádio, causados por algum processo astrofísico de alta energia, que é capaz de liberar em poucos milissegundos mais energia que o Sol libera em um dia. Alguns estudos prévios diziam que essas rajadas vinham de colisões das partículas, enquanto que outros diziam que eram geradas por partículas passando por fortes campos magnéticos.

As observações feitas pelo FAST conseguiram colocar um fim ao debate entre as duas ideias. Através das análises de polarização dos sinais emitidos por 11 fast radio bursts, os pesquisadores chineses negaram a ideia de colisão de partículas com observações diretas.

Em agosto de 2020, um grupo de pesquisadores descobriu dezenas de rajadas de raios-gama, vindas da magnetar SGR1935+2154, localizada na Via Láctea e que foi observada com o FAST.

Os pesquisadores não observaram nenhuma fast radio bursts em suas observações, apesar da alta sensibilidade do FAST. Isso indica que as rajadas de objetos compactos em diferentes frequências de rádio possuem uma condição física muito mais extrema, o que faz que seja impossível que o fóton de raio-gama e de onda de rádio atinja a Terra no mesmo momento.

O FAST, que foi terminado em 2016, tem um refletor maior do que 30 campos de futebol. Isso expande de forma tremenda a visão humana em frequências de ondas de rádio, e também oferece uma oportunidade para os cientistas em rádio astronomia, principalmente os chineses atingirem a fronteira dessa exploração científica.

Os pulsares foram detectados pela primeira vez em 1967. Cinquenta anos depois, os chineses foram capazes de descobrir um pulsar usando a sua própria tecnologia, usando o FAST. Espera-se que nos próximos cinco anos, o FAST descubra cerca de 1000 pulsares e seja capaz até de encontrar o primeiro pulsar fora da Via Láctea.

Em fevereiro de 2020, a equipe do FAST, oficialmente lançou 5 projetos priorizados e grandes selecionados pelo FAST Science Committee. Dois meses depois, o Time Allocation Committee, começou a solicitar novas inscrições para a comunidade astronômica chinesa, e receberam 170 inscrições.

Em 2021, o FAST estará aberto para o mundo. O FAST quer realizar os maiores desenvolvimentos na área de rádio astronomia, além de fazer importantes descobertas científicas e com tudo isso contribuir de forma decisiva para a humanidade avançar os seu conhecimento sobre o universo.

Fonte:

[http://en.people.cn/n3/2020/1108/c90000-9777762.html]

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo