fbpx

FAA Concede À Virgin Galactic Licença Para Levar Passageiros Em Voos Suborbitais

A empresa Virgin Galactic está um passo mais perto de se tornar uma empresa a fazer linhas espaciais.

A FAA, também conhecida como Federal Aviation Administration, atualizou a licença de operadora de transporte espacial da Virgin Galactic, permitindo que a empresa possa voar passageiros pagantes em suas naves espaciais.

A Virgin Galactic anunciou hoje também que o voo mais recente realizado pela sua nave espacial a VSS Unity, que aconteceu em 22 de maio de 2021 alcançou seus maiores objetivos, mantendo assim a empresa no planejamento certo para as futuras missões de teste que devem acontecer em breve.

O voo aconteceu sem falhas e os resultados demonstram toda a segurança e elegância do sistema de voo, disse o CEO da Virgin Galactic, Michael Colglazier. Ele ainda completou que o anúncio feito hoje pela FAA da licença completa para voos comerciais juntamente com o sucesso do voo do dia 22 de maio, dão a eles a confiança para seguir adiante com o primeiro voo completo com tripulação ainda no verão norte-americano.

A VSS Unity onde cabem seis passageiros e dois pilotos é a última versão do veículo SpaceShipTwo da Virgin Galacti a pairar pelos céus, ela é carregada por uma aeronave especial chamada de White Knight Two. Quando chega numa altura de 15 mil metros, a VSS Unity é solta, e então liga seus motores para o voo suborbital e depois retorna para a Terra, pousando como um avião.

A VSS Unity já realizou 3 voos pilotados de teste ao espaço suborbital até o momento. Os primeiros dois em dezembro de 2018 e fevereiro de 2019, decolando do Mojave Air and Space Port na Califórnia, perto das instalações da The Spaceship Company, uma subsidiária da Virgin Galactic. E a missão de 22 de maio de 2021 decolou do Spaceport America no Novo México, onde fica o hub comercial da empresa.

As únicas pessoas a bordo do primeiro e do terceiro voo da VSS Unity foram os pilotos. Já o voo de fevereiro de 2019 contou também com a presença do chefe de instrutores de astronautas da Virgin Galactic, Beth Moses, que foi na cabine de passageiros.

Mais voos de teste devem acontecer em breve, para ser mais preciso, 3 voos de testes a mais ainda serão executados, a Virgin Galactic espera realizar esses testes até o final do verão nos EUA ou no início do outono. Em um desses testes quem deve ir como passageiro é o bilionário fundador da empresa Richard Branson.

Depois que as campanhas de testes forem finalizadas e todos os dados forem analisados, a Virgin Galactic então irá se voltar para o modo de operações comerciais, fazendo voos com passageiros pagantes. Esses clientes irão poder experimentar poucos minutos de ausência de peso e o mais legal, ver a curvatura da Terra do espaço, tudo isso pagando a bagatela de 250 mil dólares por assento.

A Virgin Galactic não é a única empresa que irá oferecer voos para o espaço suborbital. A Blue Origin do Jeff Bezos desenvolveu o sistema de cápsula e foguete chamado de New Sheppard, que está programado para fazer o primeiro voo tripulado em 20 de julho de 2021. Entre as pessoas que irão nesse primeiro voo, está o próprio Bezos, o seu irmão Mark, e uma pessoa que está pagando 28 milhões de dólares para participar do voo. A Blue Origin ainda não falou quem é essa pessoa, a empresa também ainda não anunciou o valor das passagens, mas certamente será menos que 28 milhões de dólares.

Fonte:

https://www.space.com/virgin-galactic-faa-operator-license-passengers

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .