fbpx
29 de fevereiro de 2024

Explicação Sobre a Bacia Coulomb-Sarton na Lua


Essas duas crateras de interior fraturado localizadas nas terras altas do lado escuro da Lua são solitárias. Elas são semelhantes entre elas sem nenhuma outra por perto. Isso não é surpreendente pois a maior parte das crateras com interior fraturado ocorrem perto da borda de mares ou de bacias de impacto, e as lavas escuras de mares são raras na região de terras altas do lado escuro da Lua. Mas essas duas FFCs como são chamadas em inglês estão localizadas perto do meio de uma antiga mais ainda detectável bacia de impacto conhecida como Coulomb-Sarton. No mapa à direita as crateras aparecem um pouco abaixo da letra C de Coulomb, perto da borda de uma área relativamente plana que é a parte mais baixa do interior da bacia mostrada em azul. A bacia C-S tem uma concentração de massa que causa uma anomalia de gravidade, e os modelos sugerem que exista ali um denso mar preenchido com espessura de 1.2 quilômetros. Aparentemente, as fraturas produzidas por impacto sob essas duas crateras desviaram o magma que estava nascendo na bacia e empurrou as crateras fraturando seus interiores. A existência dessas crateras, na verdade fornece fortes evidências de que o magma surgiu nessa baica do lado escuro da Lua.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/October+28%2C+2011


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo