fbpx
19 de setembro de 2021

Escolhido o Local de Pouso do Lander da Missão Hayabusa2 no Asteroide Ryugu

Nós sabemos agora onde o lander da missão japonesa que irá recolher amostras de um asteroide irá pousar em Outubro de 2018.

O Mobile Asteroid Surface Scout, ou MASCOT da sonda Hayabusa2 irá pousar num ponto no hemisfério sul do asteroide Ryugu, denominado de MA-9, disseram os oficiais da missão no dia 23 de Agosto de 2018.

O MA-9 venceu a disputa com outros 9 finalistas, pois   ofereceu a melhor combinação de potencial científico e de acessibilidade disseram os membros da equipe do MASCOT.

“Da nossa perspectiva, o ponto de pouso selecionado, significa que os engenheiros podem guiar o MASCOT pela superfície do asteroide da maneira mais segura possível, enquanto os cientistas podem usar seus vários instrumentos da melhor maneira possível”, disse Tra-Mi Ho, gerente de projeto do MASCOT, do DLR Institute of Space System. O MASCOT está embarcado na sonda japonesa, mas é operado em conjunto por institutos da França e Alemanha.

O ponto MA-9 apresenta uma superfície com material relativamente novo, que não foi exposto à radiação cósmica por muito tempo se comparado com outras partes do asteroide de 950 metros de diâmetro, disseram os membros da equipe. Além do lander, a sonda Hayabusa2 irá lançar 3 pequenos rovers em partes do asteroide no hemisfério norte, então, um ponto no hemisfério sul para o lander de 10 kg, é muito importante, pois fará com que os cientistas tenham uma cobertura completa do asteroide.

Além disso, o MA-9 não tem tantos pedaços de rochas grandes como na maior parte do asteroide Ryugu. Isso não significa que o pouso será tranquilo no dia 3 de Outubro de 2018.

“Mas nós estamos cientes: Existem grandes pedaços de rochas na superfície do Ryugu, e pouca parte da sua superfície é formada por um regolito mais plano e suave”, adicionou Ho. “Embora cientificamente seja muito interessante, isso é um  desafio enorme para um lander pequeno, pousar sem problema e também para  o recolhimento de amostras”.

A missão Hayabusa2 custou 150 milhões de dólares e foi lançada em Dezembro de 2014, chegando ao asteroide Ryyugu em 27 de Junho de 2018. Se tudo correr como o planejado, a sonda irá estudar o asteroide da órbita por 16 meses e também irá descer até ele algumas vezes para recolher amostras do Ryugu.

Enquanto isso, o MASCOT e três pequenos rovers, conhecidos como Minerva-II-1a, Minerva-II-1b e Minerva-II-2 irão adquirir uma grande quantidade de informações sobre o asteroide a partir de sua superfície. O Minerva-I voou  a bordo da primeira missão japonesa que recolheu amostras de um asteroide, a Hayabusa original que estudou o asteroide Itokawa.

O módulo orbital da missão Hayabusa2 está programado para  partir do Ryugu em  Dezembro de 2019. A cápsula contendo as amostras do asteroide devem chegar na Terra, um ano depois, em Dezembro de 2020.

A  Hayabusa2 não é a única missão que irá recolher amostras de asteroide e que está em funcionamento. A missão da NASA, chamada de OSIRIS-REx  (Origins, Specetral Interpretation, Resource Identification, Security, Regolith Explorer), que custou cerca de 800 milhões de dólares, está na sua fase final de aproximação de um outro asteroide, o Bennu,  e deve chegar na órbita do asteroide que tem  cerca de 500 metros de diâmetro em Dezembro de 2018. As amostras recolhidas do Bennu pela OSIRIS-REx, devem  chegar na Terra em Setembro de 2023.

Tanto a missão Hayabusa2 como a OSIRIS-REx têm como objetivo ajudar os cientistas a entenderem a composição e a estrutura dos asteroides, o início da história e a evolução do Sistema Solar, e o papel que as rochas espaciais tiveram em ajudar a vida começar no planeta Terra.

O fato das missões enviarem para a Terra amostras brutas do material do asteroide permitirá que os pesquisadores possam acessar essas questões de forma eficiente. Os cientistas poderão realizar muitos experimentos e investigações usando laboratórios em todo o mundo de uma forma muito melhor do que uma sonda pode fazer no espaço, isso ajuda a resolver certas ambiguidades e chegar a resultados mais conclusivos.

Fonte:

https://www.space.com/41602-hayabusa2-asteroid-ryugu-landing-site-selected-photos.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo