Erosão Sazonal e Restauração das Dunas de Marte

Três imagens (abaixo)  da mesma localização forma feitas em diferentes épocas em Marte mostrando atividades sazonais que causam avalanches e perturbações que mudam as dunas marcianas.

A HiRISE fez essas imagens, que estão centradas nas coordenadas de 84 graus norte de latitude e 233.2 graus leste de longitude. Os campos de dunas nas altas latitudes são cobertos todo o ano por calotas polares sazonais de dióxido de carbono condensado, ou, gelo seco.

As imagens sequenciais, que mostram uma área de 285 por 140 metros, mostram a morfologia antes e depois das dunas em um ano em Marte, com novas alcovas e extensão de leques de detritos na face inclinada da duna causada pela queda de grãos e novas ondas de vento nos leques de detritos.

A imagem do topo foi feita primeiro, no verão marciano, quando as dunas estavam livres do gelo seco sazonal. A imagem do meio foi adquirida na primavera quando a região estava coberta por uma grande camada de gelo sazonal. A evaporação na primavera da camada sazonal de gelo é manifestada pelas linhas escuras de partículas finas que são carregadas para o topo da camada de gelo pelo gás que escapa. O fluxo de gás sob o gelo à medida que o gelo sublima (muda do estado sólido para o gás) desde a base desestabiliza as areias nas dunas e causam as avalanches que escorregam pela face inclinada.

A terceira imagem mostra as mudanças resultantes revelando o verão após a camada de gelo ter desaparecido por completo. Comparações das imagens intermediária e inferior mostram a correlação da atividade sazonal com locais de mudanças da morfologia da duna.

Fonte:

http://hirise.lpl.arizona.edu/ESP_018427_2640

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo