Encontro da Sonda Rosetta com o Asteróide Lutetia

No seu caminho para visitar o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko em 20140, a sonda da Agência Espacial Européia, Rosetta, que carrega instrumentos desenvolvidos também pela NASA, passou pelo asteróide Lutetia na noite de 10 de Julho de 2010.

Os instrumentos a bordo da sonda registraram as primeiras imagens em detalhe do asteróide metálico. Esses instrumentos também registraram medidas que irão ajudar os cientistas a calcular a massa do objeto, entender as propriedades da superfície do asteróide, registrar o vento solar nas vizinhanças e procurar por  evidências de alguma atmosfera nesse corpo celeste. A sonda passou a uma distância mínima de 3160 km a uma velocidade de 15 km/s.

“Pouco se conhece sobre o asteróide Lutetia, uma coisa que se sabe porém é que ele possui aproximadamente 100 km de largura”, disse Claudia Alexander, cientista americana que trabalha no projeto Rosetta. “A chance que a sonda Rosetta tem de voltar todos os seus instrumentos para esse corpo nos dá a oportunidade de expandir nosso conhecimento sobre esse enorme pedaço de rocha que vaga pelos céus enquanto ao mesmo tempo serve como aquecimento para testar os instrumentos da sonda em um verdadeiro ambiente espacial”.

Imagens prévias do asteróide Lutetia foram feitas por telescópios baseados na superfície terrestre e mostram somente algumas pistas sobre a sua forma geral. O Lutetia é o segundo asteróide a receber total atenção dos instrumentos a bordo da sonda rosetta. Anteriormente em Setembro de 2008 a sonda passou a 800 km do asteróide Steins. O sobrevôo sobre o asteróide Lutetia é a última chance dos controladores da missão testarem os instrumentos da sonda antes de sua hibernação que começa no início de 2011, depois a sonda só irá acordar em 2014 para realizar a aproximação no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko.

O asteróide Lutetia tem guardado mistérios por muitos anos. Imagens de telescópios baseados em Terra têm mostrado que o asteróide apresenta características que confundem os pesquisadores. Em alguns aspectos ele lembra asteróides do Tipo-C, um corpo primitivo deixado de fora da formação do sistema solar. Em outros aspectos ele se assemelha a um asteróide do Tipo-M. Esse tipo é associado com meteoritos ferrosos, normalmente possuem uma coloração avermelhada e acredita-se que são na verdade fragmentos de objetos maiores.

As novas imagens e dados obtidos pela sonda Rosetta certamente irão auxiliar na solução desses mistérios ainda não solucionados, porém para que o experimento tivesse 100% de certeza seriam necessárias análises e informações da composição do asteróide.

Aqui são apresentadas algumas das imagens desse asteróide feitas pelo instrumento chamado OSIRIS que se encontra a bordo da sonda Rosetta.


Fonte:

http://webservices.esa.int/blog/blog/5

http://www.wired.com/wiredscience/2010/07/lutetia-gallery/

http://spacefellowship.com/news/art21323/rosetta-triumphs-at-asteroid-lutetia.html

http://www.nasa.gov/topics/solarsystem/features/rosetta20100709.html


Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.