Duas Crateras Em Uma Na Superfície de Mercúrio

EN0234999326M.map


observatory_150105A cratera sem nome mostrada na imagem acima pode parecer como uma bacia de anel quando observada com ângulos elevados do Sol, mas como pode ser visto na imagem em detalhe de perspectiva, onde a elevação é exagerada 5 vezes, a porção central é uma segunda cratera que impactou no meio de uma cratera mais velha. Essas visões de perspectiva fazem uso de um modelo digital de elevação, ou um DEM, que pode ser construído acumulando perfis topográficos gerados a partir de dados obtidos com o instrumento MLA ou com medidas das sombras em imagens (fotoclinometria). Nesse caso, o mapa base é colocado sobre o Gaskell DEM, que é construído usando a técnica de fotoclinometria. Se você quiser, você pode gerar a sua própria visão em perspectiva da superfície de Mercúrio usando a ferramenta chamada de QuickMap Tool (http://messenger-act.actgate.com/msgr_public_released/react_quickmap.html#)

A imagem acima foi adquirida como parte da campanha de imageamento estereográfico de alta resolução do instrumento MDIS. As imagens da campanha de imageamento estereográfico são usadas em combinação com o mapa base morfológico da superfície ou com o mapa base de albedo para criar visões estereográficas de alta resolução da superfície de Mercúrio, com uma resolução média de 200 metros por pixel. Ao se observar a superfície sob as mesmas condições de iluminação do Sol, mas de dois ou mais ângulos de visões diferentes é possível obter informações sobre a topografia de pequena escala da superfície de Mercúrio.

Fonte:

http://messenger.jhuapl.edu/gallery/sciencePhotos/image.php?page=1&gallery_id=2&image_id=1274


alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo