Dois Asteroides Passarão Relativamente Perto Da Terra Nos Próximos Dias – NÃO TEM RISCO DE COLISÃO


Dois asteroides de tamanho razoável irão passar pela Terra na noite de sexta-feira, dia 13 para o sábado, dia 14 de Setembro de 2019. A NASA está rastreando os objetos, e os cálculos orbitais feitos eliminaram qualquer chance dos objetos representarem uma ameaça para o planeta.

“Esses asteroides têm sido muito bem observados, um deles desde o ano 2000 e outro desde o ano de 2010, e suas órbitas são muito bem conhecidas”, disse Lindley Johnson, oficial de defesa planetária e executivo do programa que trabalha para o Planeta Defense Coordination Office na sede da NASA em Washington. “Ambos os asteroides estão passando a uma distância equivalente a cerca de 14 vezes a distância entre a Terra e a Lua, essa é uma distância mais do que segura”.

Um desses objetos é conhecido como o asteroide próximo da Terra, 2010 C01, tem um tamanho estimado entre 120 e 260 metros e irá passar pela Terra às 00:42 do dia 14 de Setembro de 2019, hora de Brasília. O outro objeto é o 2000 QWZ, tem um tamanho estimado entre 290 e 650 metros e irá passar às 20:54 do dia 14 de Setembro de 2019, hora de Brasília.

Os Near-Earth Objects, ou NEOs, são asteroides e cometas que orbitam o Sol, mas que chegam a ficar a uma distância mínima da Terra de 48 milhões de quilômetros.

Esses objetos são detritos remanescente da formação do Sistema Solar que aconteceu a cerca de 4.6 bilhões de anos atrás e desde então pouco mudaram. A maior parte dos asteroides rochosos se formaram originalmente no sistema solar interno mais quente entre as órbitas de Marte e Júpiter, enquanto que os cometas, compostos na sua maioria de gelo de água, com partículas de poeira, se formaram nas regiões frias do sistema solar externo.

A NASA tem um programa chamado de Mear-Earth Object Observations Program, que descobre, rastreia e monitora os NEOs, tanto asteroides como cometas. Os astrônomos suportados por esse programa usam telescópios para seguir as descobertas e realizar medidas adicionais para melhorar o cálculo orbital. O Center for Near-Earth Object Studies, fica baseado no Jet Propulsion Laboratory da NASA e também usa esses dados para calcular com uma alta precisão a órbita de NEOs desconhecidos e prever futuras aproximações com a Terra, bem como o risco potencial de impacto com a Terra.

Os cientistas determinam a órbita de um asteroide comparando medidas da sua posição à medida que ele se move pelo céu com as previsões feitas por modelos computacionais da órbita dos objetos ao redor do Sol. Quanto mais observações estiverem disponíveis e se o objeto for observado por um logo tempo, isso gera previsões orbitais muito mais precisas.

Até o início de 2019, o número de NEOs descobertos totalizava mais de 19000 objetos, e desde então já passou dos 20000. Uma média de 30 novas descobertas estão sendo feitas a cada semana. Mais de 95% desses objetos forma descobertos por projetos apoiados pela NASA desde 1998.

Fonte:

https://www.nasa.gov/feature/two-asteroids-to-safely-fly-by-earth

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.