fbpx

Direto do Observatório Lunar Vaz Tolentino: A Cratera Kepler

Cratera KEPLER:

Diâmetro: 31 Km (20 milhas);

Profundidade: 2,6 Km

Coordenadas Selenográficas: Lat: 8.1º  N  Lon: 38.0º W.

Período geológico lunar: Copernicano (Copernican): 1100 milhõesde anos atrás até os dias atuais.

Foto no mapa LAC 57.

Melhor época para observação: 3 dias depois da fase “quarto crescente” ou 2 dias após à fase “quarto minguante”.

Quem foi Johannes Keppler Astrônomo alemão e matemático alemão (1571 – 1630). Figura chave da revolução científica do séc. XVII. Conhecido por formular as 3 leis da mecânica celeste (ramo da astronomia que estuda os movimentos dos corpos no espaço, onde a principal força é a gravitacional), conhecidas como Leis de Kepler. As 3 Leis de Kepler que foram publicadas em 1609 (1ª e 2ª leis) e em 1618 (3ª lei), definem o movimento dos planetas ao redor do Sol. São elas:

1- Os planetas descrevem órbitas elípticas ao redor do Sol, com o Sol posicionado num dos focos da elipse;

2- Os planetas descrevem áreas iguais em tempos iguais;

3- Para qualquer planeta, o quadrado de seu período orbital (tempo que demora em dar uma volta ao redor do Sol) é diretamente proporcional ao cubo da distância média com o Sol.

A cratera de impacto Kepler que é relativamente jovem (1 bilhão de anos), tem 2,6 Km de profundidade e localiza-se próximo ao equador lunar, entre o Oceanus Procellarum (do lado oeste) e o Mare Insularum (do lado leste).

Por ser uma jovem cratera, Kepler é destacada pelo sistema de raios brilhantes criados por escombros ejetados durante o impacto que escavou a cratera. Os raios cobrem os “mares” ao seu redor e estendem-se por mais de 300 Km, atravessando raios de outras crateras.

A noroeste de Kepler situa-se a cratera de porte médio Marius (diâmetro: 41 Km, Lat: 11.9º N  Long: 50.8º W), na regiãodo Oceanus Procellarum. A superfície de Marius foi inundada por lava basáltica e seu piso é relativamente liso e plano. Não existe pico central.

Ao sul de Kepler, figura a isolada cratera Encke (diâmetro: 28 Km, Lat: 4.6º N  Long: 36.6º W). Suas paredes não são predominantemente redondas e sim com formato hexagonal. Seu piso raso (800mm de profundidade) é irregular e foi atravessado pelos escombros ejetados pelo impacto que escavou Kepler, o qual foi responsável pela criação do sistema de raios brilhantes. Isto indica que Encke é mais antiga que Kepler. A cratera Encke “hospeda” em sua borda oeste, a minúscula cratera Encke N (diâmetro: 4 Km), visível nessa foto.

A oeste de Kepler existe uma formação bastante peculiar conhecida como Reiner Gamma.

Reiner Gamma é uma estranha e proeminente formação natural na superfície lunar. Formação com contorno semelhante a um girino, composta por um depósito de material muito claro (grande albedo, ou capacidade de refletir a luz), destacando-se significativamente dos basaltos circundantes do Oceanus Procellarum

O centro da formação está localizado nas coordenadas selenográficas LAT: 07,5° N, LON: 59,0° W.

Foto executada com apenas 1 frame em 12/06/2012; 05h44m.

Ao final da sessão de fotos de onde esta de KEPLER originou-se, o dia já amanhecia nas montanhas de Minas.

Foto: Canon Power Shot SX10IS / Tolentino.

Não deixem de visitar na internet o site oficial do Observatório Lunar Vaz Tolentino onde é possível encontrar centenas de imagens da Lua, além de muitas informações sobre astronomia e ciência em geral. Visitem o remodelado site do VTOL: www.vaztolentino.com.br

Fonte:

www.vaztolentino.com.br

 

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .