fbpx

Deslocando Uma antena do ALMA

Esta fotografia mostra uma das antenas europeias de 12 metros de diâmetro do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) sendo deslocada na Infraestrutura de Suporte às Operações do projeto. Desde que esta fotografia foi tirada, esta antena, e outras como ela, foram postas em operação, quando o ALMA começou as observações científicas com uma rede parcial (ver eso1137). Mais recentemente, o período de apresentação de Propostas para a nova fase de observações do ALMA terminou na quinta-feira, 12 de Julho. Foram recebidas mais de 1100 propostas vindas de astrônomos de todo o mundo.

O ALMA faz as suas observações do planalto do Chajnantor, a uma altitude de 5000 metros. Assim que a construção estiver completa, o ALMA será uma rede de 66 antenas de alta precisão, com 12 e 7 metros de diâmetro, espalhadas por distâncias que vão até aos 16 quilômetros, trabalhando em conjunto como se fossem um único telescópio, nos comprimentos de onda de 0,32 a 3,6 milímetros. Mais de metade das 66 antenas já estão no Chajnantor (ver ann12035). Vinte e cinco antenas ALMA são fornecidas pelo ESO através de um contrato com o consórcio europeu AEM, 25 antenas são fornecidas pela América do Norte e 16 pelo Leste Asiático.

As antenas, cada uma pesando cerca de 100 toneladas, são montadas e testadas na Infraestrutura de Suporte às Operações, situada na região do Atacama do Chile, a uma altitude de 2900 metros. As antenas são depois levadas para o planalto do Chajnantor, 5000 metros acima do nível do mar, com a ajuda de dois transportadores especialmente concebidos para o efeito – veículos enormes com 28 pneus, 10 metros de largura, 20 de comprimento e 6 de altura, que pesam 130 toneladas e têm tanta potência como dois motores de carros de Fórmula 1. Um dos transportadores, chamado Otto, pode ser visto nesta fotografia, tirada quando a primeira antena europeia foi entregue ao observatório em Abril de 2011.

O ALMA, uma infraestrutura astronômica internacional, é uma parceria entre a Europa, a América do Norte e o Leste Asiático, em cooperação com a República do Chile. A construção e operação do ALMA é coordenada pelo ESO, em prol da Europa, pelo Observatório Nacional de Rádio Astronomia (NRAO), em prol da América do Norte e pelo Observatório Astronómico Nacional do Japão (NAOJ), em prol do Leste Asiático. O Joint ALMA Observatory (JAO) fornece uma liderança e direção unificadas na construção, comissionamento e operação do ALMA. 

Fonte:

http://www.eso.org/public/brazil/images/potw1229a/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .