DADOS DA INSIGHT MOSTRAM QUE MARTE É SISMICAMENTE ATIVO | SPACE TODAY TV EP2130

Obrigado World of Warships por patrocinar esse vídeo! Façam o download aqui:

https://wo.ws/2Sd1tW7

E utilizem o código BATTLESTATIONS2020 para ganharem diversos brindes:

* 250 Dobrões
* 3 Dias de Premium
* Barco USS Charleston
* +1 Vaga no porto
—————————————————–
VENHA PARTICIPAR DO CURSO DE ASTRONOMIA DO SPACE TODAY:

http://academyspace.com.br/bigbang

—————————————————–

ASSISTA O VÍDEO DA NED:

https://www.youtube.com/watch?v=ywmXvsHBBp4

——————————————————————–

VISITE A LOJA DO SPACETODAY:

https://www.spacetodaystore.com

——————————————————————–

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————–

Um novo entendimento começa a emergir sobre o planeta Marte.

Talvez o mais profundo de todos.

Um conjunto de 6 artigos, 5 publicados na Nature Geoscience e 1 na Nature Communications, apresentam os resultados científicos da missão InSight da NASA.

A InSight, para quem não lembra é um lander, ou seja, uma plataforma científica que pousa num lugar e ali fica.

O objetivo da missão é entender o interior do Planeta Vermelho.

Para isso ela usa um sismômetro, chamado de SEIS, um termômetro, HP3, e outros instrumentos que por meio de medições geofísicas podem contar como é o interior de Marte.

De todos, só o termômetro que está com problemas para ser instalado no subsolo de Marte e fazer as medidas, mas os pesquisadores e engenheiros continuam trabalhando nisso.

A ideia agora é realmente martelar ele com o braço robótico da InSight, para acompanhar o que acontece com o termômetro, me siga nas redes sociais que sempre posto os avanços ali.

Mas os outros instrumentos estão trabalhando e perfeito estado e mostraram resultados maravilhosos.

O SEIS, por exemplo, está mostrando que Marte treme com mais frequência que se esperava, porém, com menor intensidade.

Mais de 450 sinais sísmicos foram registrados até o momento, sendo que a grande maioria deles são realmente sismos.

O maior sismo registrado pela InSight foi de magnitude 4.0.

Marte não possui placas tectônicas, mas os deslizamentos de terra são frequentes e com isso, os sismos são gerados.

Com isso os pesquisadores podem entender o quão recente foram derramamentos de lava em Marte, e como são as fraturas desses locais, algo importante para podermos contar a história geológica do planeta.

Além dos sismos, a InSight pôde medir o campo magnético de Marte.

Mas que campo magnético?

Há bilhões de anos, Marte tinha um campo magnético, hoje não tem mais, mas tem resquícios.

O magnetômetros da InSight mostrou que os registros são 10 vezes mais fortes do que se pensava anteriormente com medidas feitas por sondas espaciais.

O magnetismo vem de rochas jovens no subsolo, que guardaram o registro magnético do planeta.

Uma coisa que tem intrigado os cientistas é que as medidas variam com o tempo, diariamente, o porque acontece essa variação é um tema de estudo ainda.

A inSight além de tudo é uma estação meteorológica.

Ela tem medido a velocidade do vento, a direção e a pressão atmosférica de forma contínua.

Os sensores já detectaram milhares dos chamados dast devils, os redemoinhos de poeira.

O local de pouso da InSight tem muito desses fenômenos, por ser uma vasta planície.

As câmeras da InSight ainda não registraram visualmente esses redemoinhos, mas o SEIS já os sentiu.

A InSight ainda vai trabalhar muito, principalmente para tentar entender como é o núcleo de Marte.

Através de dois equipamentos de rádio, que enviam e recebem sinais, será possível medir o quanto Marte sofre uma variação no seu eixo.

Se o núcleo for sólido, o planeta terá pouca variação, se for líquido ou com alguma parte líquida essa variação será maior.

A InSight acabou de completar meio ano marciano em Marte, em 28 de novembro de 2019, lembrem-se que o ano marciano é equivalente a dois anos terrestres, então no final de 2020, certamente teremos muito mais informações sobre o planeta Vermelho, quem sabe, conhecendo muito bem todas as suas entranhas.

Fontes:

https://www.nasa.gov/feature/jpl/a-year-of-surprising-science-from-nasas-insight-mars-mission

#Mars #InSight #SpaceToday

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.