fbpx
22 de fevereiro de 2024

Cratera Van De Graaff

A cratera Van de Graaff  localizada no lado lunar distante ao norte da Bacia Aitken no Pólo Sul, tem uma forma diferente de 8 que rapidamente é facilmente reconhecida pelos cientistas lunares. Sua forma sugere que ela foi formada por dois impactos separados mesmo não existindo nenhuma parede separando as duas crateras. Os dados da sonda LOLA indicam que o solo da cratera é relativamente plano exceto pela presença de pequenas crateras de impacto. Porções do seu anel externo chegam a alcançar até 1000 metros acima da média de elevação do terreno lunar, enquanto que o seu assoalho está localizado a -2100 metros.

A Van de Graaff é uma região de interesse para exploração robótica e humana na Lua devido a sua localização em uma zona anômala tanto magneticamente como geomecanicamente. A Lua não possui um campo magnético global como a Terra, então a origem de pequenos campos magnético localizados como o próximo da cratera Van de Graaff é de interesse científico. A cratera Van de Graaff e a região ao seu é enriquecida com tório um elemento encontrado no chamado KREEP lunar. KREEP significa, potássio (K), elementos terras raras (REE) e fósforo (P). A maioria dos materiais ricos em KREEP são encontrados no lado lunar próximo, assim a presença de tório na região da Van de Graaff é intrigante.

Fonte:

http://lunar.gsfc.nasa.gov/lola/index.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo