fbpx
29 de novembro de 2021

Cratera Jenner na Lua Tem Seu Interior Coberto Por Lavas

Jenner é uma cratera com 75 km de diâmetro localizada no Mare Australe. Essa pequena cadeia é uma das muitas cadeias de dobramento localizadas dentro da cratera Jenner. Cadeias de dobramentos normalmente se formam em unidades de mares devido a tensão compressional. O interior da cratera Jenner foi completamente coberto por lava e o peso da lava pode ter resultado num pequeno afundamento do interior da cratera resultando na compressão e no encurvamento do depósito de mar. O mar era espesso o suficiente de modo que seu pico central e alguns terraços se mantiveram não cobertos. Mas como os cientistas têm certeza que essa cratera é preenchida com lava e não por material derretido por impacto?

A primeira pista vem das cadeias de dobramentos que normalmente se formam nos mares, mas essa não é uma evidência suficiente. Outras observações úteis são sobre o volume a textura do interior da cratera. A cratera Tycho, com 86 km de diâmetro é um exemplo de uma cratera de impacto com a maior parte de seu interior sendo coberta por material derretido por impacto. Contudo, o interior da Tycho tem uma textura mais rugosa e mais caótica do que a Jenner. O interior da Jenner é suave, muito mais similar à superfície de mar do que os depósitos de material derretido por impacto encontrado na Tycho. Dados multiespectrais obtidos pela Clementine da cratera Jenner mostram uma assinatura máfica, indicando uma unidade de mar. Observando essas variáveis pode-se concluir que a cratera Jenner é mais semelhante a crateras inundadas por mares como a Archimedes do que com a Tycho.

Fonte:

http://lroc.sese.asu.edu/news/index.php?/archives/407-Jenner-Crater-Mare-Flooded-Floor.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo