fbpx

Cratera em Forma de Olho de Boi em Marte

Em muitos anos estudando superfícies planetárias os cientistas normalmente se deparam com um grande número de crateras de impactos estranhas – paralelogramo, quadrados entre outros – mas nada como isso que será apresentado aqui.

A equipe que o opera a câmera HiRISE a bordo da sonda da NASA Mars Reconnaissance Orbiter fez imagens realmente fantásticas que ficaram disponíveis a pouco dias atrás.

Na imagem dessa feição estamos olhando para a superfície marciana de uma altitude de 300 km, usando um telescópio de 0.5 m com f/24, que registra detalhes com poucos metros de resolução. A textura da superfície dentro e fora do anel da cratera são incrivelmente diferentes e próprias.

Mas qual anel? Essa cratera em forma de olho de boi possui no mínimo três.

Atualmente, crateras com múltiplos anéis não são tão incomuns, mas elas são exclusivas de grandes bacias de impacto, com as vezes centenas de quilômetros de comprimento. Esse exemplo, em Marte, para comparação é uma feição muito mais modesta com 700 metros de comprimento, o que a torna mais especial.

Os cientistas da HiRISE estão estudando duas possíveis explicações para esse padrão de olho de boi: um incomum acamamento em subsuperfície ou um segundo impacto “sortudo” que acertou a cratera primária com precisão no seu topo.

Localizada na latitude 47 graus norte e na longitude 165 graus oeste, a cratera está localizada na vasta planície do norte com uma camada extensa de e espessa de gelo de água. Isso então não dá muita margem para acreditar em um impacto de um corpo do tamanho de um armazém que se chocou diretamente com a camada de gelo e com rochas sólidas do embasamento, criando o conjunto de crateras imbricadas que podem ser observadas. O cenário é constituído pela existência de uma cratera menor, com aproximadamente uma milha a sudeste que também por sua vez é dupla.

Mas é possível notar que a cratera secundária do grande olho de boi não é exatamente simétrica – ela está um pouco deslocada do centro. Ela também  possui um anel crescente, o que os geólogos estão tendo problema em explicar se a causa principal é um alvo em camadas.

Finalmente, é possível observar que existem dois lobos arredondados de detritos no canto superior direito do assoalho da cratera. Poderiam esses lobos serem paisagens que ali surgiram graças a um segundo choque ocorrido dentro da maior cratera já ali existente?

É engraçado e divertido especular sobre tudo isso – especialmente quando a imagem é tão clara e mostra tantos detalhes.

Fonte:

http://www.skyandtelescope.com/community/skyblog/newsblog/99763274.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .