fbpx
27 de fevereiro de 2024

Cometa Halley Atingirá O Ponto Mais Distante do Sol No Próximo Final de Semana

Lá fora, bem distante no frio Sistema Solar exterior, vaga solitário ele, o cometa mais famoso de todos os tempos o 1P/Halley. No sábado dia 9 de dezembro de 2023, o Halley vai atingir o ponto mais distante do Sol na sua longa jornada de 75 anos pelo Sistema Solar.

Podemos dizer que esse 9 de dezembro de 2023 marca o ponto médio da viagem do Halley entre a sua aparição de 1986 e a sua próxima aparição aqui na Terra em 2061. A última vez que o Halley foi observado foi em 2003, há 10 anos, e quem conseguiu essa façanha foi o VLT do ESO no Chile. No momento o Halley estava a 28 UA de distância com uma magnitude de +28.

O momento exato do afélio, ou seja, o ponto mais distante do Sol na sua órbita, vai acontecer exatamente às 10:00 da manhã no horário de Brasília no dia 9 de dezembro de 2023, nesse momento o Halley estará a 35.14 UA de distância, ou o equivalente a aproximadamente 5.5 bilhões de quilômetros longe do Sol. Isso coloca o Halley além da órbita de Netuno, e estará brilhando com uma magnitude de +35, na constelação de Hydra, a Serpente Marinha. No ponto mais distante da sua órbita outro fenômeno acontece, o cometa irá se mover com a menor velocidade dessa jornada, 0.91 km/s com relação ao Sol.

A essa distância e com essa magnitude o Halley estará longe do alcance dos telescópios, e a NASA, pelo menos até o momento não mostrou interesse em apontar o James Webb ou o Hubble para o Halley. Na verdade não teria lá muita coisa científica para estudar do cometa nesse ponto da sua trajetória.

Pra você que não conhece aqui vai um pouco da história do Halley. Esse cometa deixou sua marca na história. Sir Edmond Halley notou pela primeira vez a sua periodicidade em 1696, conseguindo calcular então quando seria a sua aparição seguinte. Edmond Halley previu com precisão que o Halley retornaria em 1758, um fato triste nessa história toda é que o Edmond Halley não teve a chance de ver o cometa, pois ele morreu antes disso.

O 1P no seu nome denota o fato do Halley ter sido o primeiro cometa periódico descoberto na história. Cometas periódicos possuem órbitas inferiores a 200 anos. Até o momento são conhecidos 472 cometas periódicos. À medida que as pesquisas avançam mais profundamente no estudo do Sistema Solar, conseguindo ver magnitudes cada vez maiores, os astrônomos descobrem cometas periódicos cada vez mais fracos.

Mas a história do Halley começa bem antes do Sir Edmond Halley, os chineses observaram o Halley em 467 a.C.. A aparição do comenta em 1066 foi amplamente vista em todo  o mundo. A aparição do Halley nesse ano foi considerada um mal presságio pois antecedeu a morte do Rei Haroldo II na famosa Batalha de Hastings e a ascensão ao trono de Guilherme, O Conquistador ao trono.

Outra história envolvendo o Halley, essa possivelmente apócrifa, afirma que o Papa Calisto III “excomungou” o cometa, como uma advertência contra a invasão do Império Otomano na Europa Ocidental.

O autor americano Mark Twain também é famoso pela sua associação com o Halley. Twain nasceu em 1835 durante o aparecimento do cometa e previu que faleceria na próxima aparição do Halley que foi em 1910.

Falando de 1910 foi um ano especial para quem gosta de cometas, mas aqui existe uma grande confusão. Sim, o Halley passou em 1910, mas nesse mesmo ano e perto da passagem do Halley ocorreu a aparição do chamado Grande Cometa de 190, e na verdade a maior parte das pessoas que dizem ter visto o Halley viram na verdade o Grande Cometa. A descoberta do gás venenoso cianogênio na cauda do cometa, descoberta essa que só foi possível graças ao desenvolvimento de uma nova técnica de espectroscopia acabou desencadeando grande pânico na população que pensava que todos iriam morrer, foi O Grande Pânico de 1910.

Em 1986 a aparição do Halley decepcionou muita gente, muitos aliás nem viram. Mas como foi uma aparição já na era moderna da exploração espacial, 3 sondas foram enviadas para estudar o Halley, a Veja 1 e 2 da URSS e a Giotto da ESA. Um detalhe, os EUA iria mandar uma sonda a Spartan Halley, porém essa sonda estava dentro do compartimento de cargas do Ônibus Espacial Challenger que explodiu. Duas chuvas de meteoros existem graças ao Halley, uma delas é a Eta Aquarideas e a outra é a Orionideas.

O Halley passará as próximas décadas vagando pela constelação da Hydra e depois a do Cão Maior. Em 2050, o Halley passará perto da estrela Procyon. O Halley atingirá o seu periélio, ou seja, ponto mais próximo do Sol na sua órbita em 28 de julho de 1961 e poderá chegar a magnitudes negativa.

Agora só nos resta esperar essa próxima passagem do Haley por aqui, e aliás diga aí com que idade você estará em 2061 na próxima passagem do Halley?

Fonte:

https://www.universetoday.com/164599/famed-halleys-comet-passes-aphelion-this-weekend/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo