China Escolhe o Local de Pouso do Rover da Missão Tianwen-1 Em Marte

A China, aparentemente escolheu o local para pouso do rover da missão marciana Tianwen-1 que deve chegar no Planeta Vermelho em fevereiro de 2021. A Tianwen-1, para quem não se lembra, consiste de um módulo orbitador, de um módulo de pouso, um lander e de um jipe robô, um rover, ela foi lançada no dia 23 de julho de 2020 e atualmente está a caminho de Marte.

Os membros da equipe que controlam a missão já testaram seus instrumentos científicos. No último comunicado oficial liberado pelos chineses, a Tianwen-1 já viajou 137 milhões de quilômetros, na verdade já foi bem mais, porque isso foi divulgado em 11 de setembro de 2020 e estava a 15.3 milhões de quilômetros de distância da Terra.

A China já declarou que o rover irá tentar pousar na região chamada Utopia Planitia, uma grande bacia formada por um grande impacto que aconteceu na história de Marte. Na verdade essa área é bem famosa para pousos em Marte, tanto que a NASA chama de “o grande estacionamento”, ali já pousaram a missão Viking 2 da NASA e mais recentemente em 2018, a missão InSight, também da Agência Espacial Norte-Americana.

Agora, o que a China publicou foi o local exato do pouso, que deve acontecer nas coordenadas 110.318 graus de longitude leste e 24.748 graus de latitude norte, isso fica na porção sul da Utopia Planitia.

Em versões online do artigo que mostrou o local de pouso as coordenadas foram apagadas, mas em versões que citaram o artigo elas foram mantidas então muitos conseguiram pegar exatamente o ponto do pouso.

A área parece fornecer um local relativamente seguro para a tentativa de pouso, mas também tem grande interesse científico, o local é bem plano e suave, com algumas crateras, e cordilheiras esculpidas pelo vento e com poucos pedaços de rochas soltos por ali para atrapalhar o pouso da missão.

A área é interpretada como sendo uma região que foi coberta por fluxos de lama, de modo que pode existir na região água em subsuperfície, e isso é uma coisa interessante de ser estudada com um rover. Na região de pouso da Tianwen-1 não existem evidências da existência de gelo na superfície ou perto da superfície.

O rover da missão ainda não tem nome, mas pesa 240 kg, e é movido a energia solar, ele irá investigar as características do solo e a potencial distribuição de água no subsolo usando para isso o instrumento conhecido como Subsurface Exploration Radar, um GPR. A missão chinesa Chang’e-4 usa um instrumento similar para investigar a subsuperfície lunar.

O rover também irá analisar a composição do material na superfície e as características do clima e do ambiente marciano na superfície.

A China já pousou duas vezes na Lua, com a missão Chang’e-3 em 2013 e com a Chang’e-4 no lado oculto da Lua em 2019. Contudo a Tianwen-1 é a primeira missão interplanetária independente da China, e pousar em Marte, com uma fina atmosfera, é um desafio maior a ser vencido.

Depois que chegar na órbita de Marte em fevereiro de 2021, a Tianwen-1 irá passar de dois a três meses preparando o rover para o pouso, usando câmeras de alta e de média resolução para acessar o local de pouso e as condições. Então o rover irá fazer a tentativa de pouso entrando pela atmosfera de Marte, descendo e finalmente pousando. O rover irá se separar do módulo orbitador e entrará pela atmosfera sendo protegido e tendo sua velocidade reduzida por uma concha cônica. Depois disso, o paraquedas irá se abrir e reduzir ainda mais a velocidade de descida do rover, até que os retrofoguete serão acionados para a desaceleração final e para a descida e toque na superfície marciana.

A baixa elevação da Utopia Planitia significa que o rover terá mais tempo viajando pela atmosfera, ou seja, mais tempo para reduzir a sua velocidade para pousar com segurança na superfície. Esse é um dos motivos que se você for pousar pela primeira vez em Marte, tente pousar na Utopia Planitia.

Se tudo correr bem e o pouso for um sucesso, o rover da missão Tianwen-1 deve operar no solo por 90 dias marcianos, ou Sols como é chamado.

O orbitador da missão irá fornecer o relay de comunicação para o rover enquanto ele estiver trabalhando no solo marciano, o orbitador deve continuar funcionando na órbita marciano por um ano marciano, o equivalente a 2 anos terrestres, ou 687 dias terrestres.

Fonte:

https://www.space.com/china-mars-rover-tianwen-1-landing-site

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo