fbpx
27 de setembro de 2021

China E Rússia Se Juntam Para Uma Missão Que Irá Visitar Um Cometa e Um Asteroide

A China selecionou instrumentos científicos russos para voar na sua missão que irá primeiro coletar amostrar de um asteroide próximo da Terra e depois visitar um cometa do cinturão principal de asteroides do Sistema Solar.

A China pretende lançar sua ambiciosa missão em 2024. Em primeiro lugar, essa missão irá coletar amostras do pequeno asteroide próximo da Terra, chamado de Kamo’oalewa. Depois, a sonda irá trazer as amostras para a Terra e então usar a assistência gravitacional do nosso planeta para visitar o cometa 133P/Elst-Pizarro, um cometa localizado no Cinturão Principal de Asteroides do nosso Sistema Solar.

A Rússia irá se juntar à missão com os instrumentos científicos construídos pelo Instituto de Pesquisa Espacial da Academia de Ciências Russa. Os instrumentos foram selecionados depois da chamada de propostas feita pela Administração Nacional de Espaço da China, ou a CNSA, para a missão combinada de um asteroide e de um cometa.

A sonda especial irá se chamar ZhengHe, em homenagem ao famoso explorador naval do início dos anos 1400, e irá carregar uma variedade de instrumentos relacionados com imageamento, câmeras e espectrômetros multiespectrais bem como um radar, uma magnetômetro e instrumentos para detectar uma grande variedade de partículas. Uma parte desses instrumentos virão do Instituto de Pesquisa Espacial da Rússia.

Foi de comum acordo entre a China e a Rússia a ideia de dividir os instrumentos da missão. Entre esses instrumentos temos o ULTIMAN e o ULTIWOMAN irão detectar íons e elétrons, e um pequeno detector irá estudar como o plasma do vento solar interage com pequenos corpos do Sistema Solar. Esses instrumentos irão medir qualquer potencial tênue atmosfera e ionosfera presente no cometa do cinturão principal de asteroides, bem como estudar a interação entre o vento solar e os dois pequenos corpos.

A missão ambiciosa irá ver a sonda usar quatro braços robóticos para pousar no Kamo’oalewa, com ferramentas de perfuração nos braços para segurar a sonda na superfície do asteroide.

Além disso, a sonda irá carregar uma cápsula de amostras que irá trazer para a Terra, porções do asteroide. A ZhengHe também irá carregar uma nano-orbitador e um nano-lander para realizar trabalhos de sensoriamento remoto e explorações no solo do Cometa 133P. A sonda irá usar um explosivo para expor a subsuperfície do cometa onde o nano-lander irá fazer o touchdown. Esse robô tem como objetivo usar seus instrumentos para estudar a composição da subsuperfície do cometa, com um interesse especial em procurar por água e voláteis.

A China e a Rússia têm uma longa história de cooperação em voos espaciais desde a década de 1950, quando a União Soviética ajudou o desenvolvimento inicial da indústria de foguetes chinesa. Mais recentemente a China e Rússia assinaram um memorando para criar um projeto robótico conjunto na Lua. A Estação de Pesquisa Lunar Internacional, irá consistir de pequenas sondas que pousarão perto do polo sul lunar mas que poderão expandir em estruturas maiores e eventuais habitats tripulados.

A Rússia, é membro do programa da Estação Espacial Internacional, não irá participar da estação Gateway da NASA, uma iniciativa de estabelecer uma estação espacial cislunar, o que sinaliza um desvio na parceria entre os maiores países envolvidos na exploração espacial.

Fonte:

https://www.space.com/russia-joins-china-asteroid-comet-mission

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo