fbpx

Canal Sirsalis: Um Canal Reto na Lua

Como sabemos a Lua possui paredes retas e cadeias retas (imagens abaixo), por que não um canal reto? Apesar da deflexão que sofre ao longo da cratera na parte terminal superior, o Canal Sirsalis parece que foi projetado por um desenhista com o uso de uma régua. Mas por que seria esse canal tão reto e perfeito? Diferente dos canais sinuosos que são criados pelo fluxo de lava que acontecem em canais na subsuperfície, acredita-se que os canais retos sejam expressões na superfície de soerguimentos verticais de pedaços de magma, ou em linguajar geológico, um dike, que empurra para longe a crosta que está sendo penetrada, permitindo o colapso da superfície em um vazio acima do magma. Alguns canais lineares mostram pequenos cones vulcânicos, ilustrando que algumas vezes alguma parte do magma escapa para a superfície. O magma pode facilmente forçar seu caminho onde a crosta apresenta uma certa fraqueza. O fato do Canal Sirsalis ser um dos três dos quatro canais que são aproximadamente radiais ao Oceanus Procellarum sugere que os canais estejam relacionados de forma putativa à Bacia Procellarum que é um oceano preenchido por lava. De fato, como o Sirsalis alcança o final do seu caminho na praia desse mar é possível que ele se estenda abaixo da lava do mar e que seja na verdade alimentado por ela. Para observar claramente como o canal é reto, pode-se notar que a imagem foi rotacionada para que o canal ficasse perfeitamente na vertical.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/April+17%2C+2011

 

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .