Canais na Lua Geram Interessantes Reflexões

Canais lineares são normalmente interpretados como vales que se colapsam sobre diques – lençóis verticais de magma – e empurram a crosta. Nem sempre se entende o que causa a tensão que leva a formação de diques, mas muitos são grosseiramente perpendiculares à costa oeste do Oceanus Procellarum. Exemplos incluem canais dentro e próximo das crateras Hevelius e Riccioli. Na Cratera Hevelius dois canais se cruzam perto do centro da mesma formando um X. Se cada um desses canais marca uma direção de mínima tensão isso serve para indicar que existiram diferentes campos de tensões com o passar dos anos. Nós não sabemos por que deveria ser mas provavelmente poderíamos contar várias histórias para explicar. Um canal fora da Cratera Hevelius tem uma tendência na mesma direção de um no interior dela e segue em direção à cratera Riccioli, onde alguns pequenos segmentos parecem seguir o mesmo caminho. Material ejetado da Bacia Orientale e lavas escuras obscurecem partes dos canais na Cratera Riccioli. Alguns desses pequenos canais tem a mesma orientação de alguns da Cratera Hevelius sugerindo que o campo de tensões tem alguma característica regional ao invés de estar relacionado independentemente com as crateras.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/January+31,+2011

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo