Breve História Geológica de Lake District no Noroeste da Inglaterra

Como o nome sugere, o Lake District na região noroeste da Inglaterra é o lar de numerosos e grandes lagos. Embora esse parque nacional tenha sua aparência atual controlada pela atividade de geleiras, a paisagem na verdade tem uma rica história de complexos processos geológicos que ali ocorreram datados de 500 milhões de anos atrás.

O instrumento Enhanced Thematic Mapper a bordo do satélite Landsat 7 da NASA registrou essa imagem em cor natural do Lake District National Park em 7 de Maio de 2000. Penhascos livre de vegetaçãoo nascem sobre planícies cobertas de vegetação. Como marcas deixadas por unhas gigantes, os longos lagos parecem irradiar para fora da parte central do parque.

Aproximadamente a 500 milhões de anos atrás, as rochas mais velhas na região estavam localizadas no assoalho de um antigo oceano. Lama pobre em oxigênio e detritos do fundo do mar foram encravados dentro das rochas que persistiram por mais de cem milhões de anos. Essas rochas fazem parte do grupo conhecido como Grupo Skiddaw e elas afloram na parte norte do parque.

A aproximadamente 450 milhões de anos atrás, a colisão entre placas tectônicas iniciou um período de intensa atividade vulcânica. As rochas resultantes desse evento formam o que é conhecido como Grupo Vulcânico Borrowdale que forma a base das montanhas no meio do parque. As rochas são os picos marrons que nascem sobre o em torno coberto de vegetação.

A parte sul do Lake District consiste de ardósias, argila e arenitos. Chamado de Grupo Windemere, essas rochas se formaram no fundo de um mar há aproximadamente 420 milhões de anos atrás.

Há aproximadamente 400 milhões de anos atrás um evento de geração de montanha conhecido como Orogenia Caledoniana ergueu todas as rochas do fundo do mar e o magma redesenhou as camadas de rochas dando a elas configurações complexas. A cadeia de montanhas que ali se formou teria aproximadamente a mesma altura dos himalaias, mas com milhões de anos de erosão atuando as rochas foram jogadas para baixo criando colinas e há 350 milhões de anos atrás o que era uma cadeia de montanha fazia parte novamente do assoalho oceânico. Uma camada de detritos de vida marinha preenche as rochas mais antigas e os fósseis de corais e conchas ainda persistem no Lake District até hoje. Durante o período Carbonífero a lama infiltrou no mar raso. Há aproximadamente 280 milhões de anos atrás, outro evento de geração de montanha, a Orogenia Variscaniana novamente soergueu as rochas.

Em centenas de milhões de anos desde que as rochas atuais do Lake District foram formadas elas não só experimentaram eventos soerguer como também viajaram em direção ao norte. As rochas que constituem hoje o parque nacional estavam localizadas bem ao sul do equador há 500 milhões de anos atrás.

Numa época geológica muito mais recente, 2 milhões de anos atrás, as geleiras do Pleistoceno viajaram para o sul cobrindo grande parte da Grão Bretanha. As geleiras avançaram e retrocederam múltiplas vezes, cavando profundos vales que mais tarde foram preenchidos com água derretida e chuva. As rochas vulcânicas mantém a água no mesmo lugar impedindo que ela flua dali, isso faz com que os lagos que dão nome ao parque se mantenham até os dias atuais.

Fonte:

http://earthobservatory.nasa.gov/IOTD/view.php?id=48103

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo