Brasil junta-se ao Observatório Europeu do Sul

A República Federal do Brasil assinou ontem um acordo formal de adesão no sentido de se tornar membro de pleno direito do Observatório Europeu do Sul (ESO). Depois da ratificação governamental, o Brasil tornar-se-á o décimo quinto Estado Membro do ESO e o primeiro fora da Europa.

A 29 de Dezembro de 2010, numa cerimônia em Brasília, o Ministro brasileiro da Ciência e Tecnologia, Sergio Machado Rezende, e o Diretor Geral do ESO, Tim de Zeeuw, assinaram o acordo de adesão formal que fará do Brasil um Estado Membro do Observatório Europeu do Sul. O Brasil tornar-se-á assim o décimo quinto Estado Membro do ESO e o primeiro fora da Europa. Uma vez que o acordo significa uma adesão a uma convenção internacional, tem ainda que ser submetido ao Parlamento Brasileiro para ratificação. A assinatura do acordo deu-se no seguimento da aprovação unânime do Conselho do ESO numa reunião extraordinária realizada a 21 de Dezembro de 2010.

“A adesão ao ESO dará um novo ímpeto ao desenvolvimento da ciência, da tecnologia e  da inovação no Brasil, no seguimento dos esforços consideráveis que o nosso governo tem vindo a realizar para fazer avançar o país nestas áreas estratégicas,” diz Rezende.

O Observatório Europeu do Sul tem uma longa história de envolvimento bem sucedido com a América do Sul, desde a altura em que o Chile foi selecionado como o melhor local para os seus observatórios em 1963. No entanto, e até agora, nunca nenhum país fora da Europa tinha aderido ao ESO como Estado Membro.

“O fato do Brasil se tornar membro do ESO dará à vibrante comunidade astronômica brasileira total acesso ao observatório mais produtivo do mundo e abrirá novas oportunidades à indústria brasileira de alta tecnologia, uma vez que poderá contribuir para o projeto do European Extremely Large Telescope. Trará também novos recursos e competências à Organização, numa altura em que estas darão certamente uma contribuição importante a este projeto tão interessante,” acrescenta o Diretor Geral do ESO, Tim de Zeeuw.

A fase de concepção do European Extremely Large Telescope (E-ELT) foi recentemente concluída, tendo-se seguidamente prosseguido a uma importante revisão, onde todos os aspectos deste enorme projeto foram analisados detalhadamente por um painel internacional de especialistas independentes. O painel considerou que o projeto E-ELT está tecnicamente preparado para entrar na fase de construção. A decisão final de construção do E-ELT está planeada para 2011 e quando as operações começarem no início da próxima década astrónomos europeus, brasileiros e chilenos terão acesso a este gigantesco telescópio.

O presidente do Conselho do ESO, Laurent Vigroux, conclui: “Os astrônomos no Brasil beneficiarão da colaboração com colegas europeus, e naturalmente do tempo de observação de que disporão nos observatórios de vanguarda do ESO, em La Silla e no Paranal, assim como no ALMA, o qual o ESO está atualmente a construir com os seus parceiros internacionais.”

Fonte:

http://www.eso.org/public/portugal/news/eso1050/

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.