As Crateras Hercules na Lua

Você sabia que a cratera Hercules G, a cratera localizada no interior coberto por lava da cratera Hercules foi uma cratera bandada? Essa característica não é mesmo fácil de ser observada e depende muito de como o Sol está iluminando essa feição na Lua. O anel da G parece baixo onde a banda escura chega, e se você olhar com cuidado, ou utilizar algum programa de processamento de imagens para trabalhar com o brilho você poderá ver que a banda brilhante de material ejetado ao redor da cratera é mais larga na direção norte. Se você observar o mosaico completo da Lua e ampliar a região dessa cratera (http://target.lroc.asu.edu/da/qmap.html) você verá que a área brilhante corresponde exatamente com a distribuição das crateras secundárias da G. Aparentemente parece que a G foi formada com um impacto oblíquo. As duas crateras na parede da Hercules foram provavelmente formadas por impactos próximos da vertical, mas pelo fato delas ocorrerem na parede inclinada da cratera elas sofreram um estiramento no sentido do interior da cratera. Finalmente pode-se notar que a Hercules D, a cratera mais nova e com pequeno interior está a direita da cratera Hercules. Ela possui uma protuberância brilhante e arredondada alta na parede norte. A imagem feita pela sonda Clementine e mostrada abaixo não é tão sensacional como a imagem feita por astrônomo amador, mostrada acima mas sugere uma feição brilhante de um afloramento de rocha exposta que foi escada pela cratera.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/May+21%2C+2011

 

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo