Artigos Científicos Discutem O Evento LHB na Lua e as Suas Consequências na Determinação da Idade do Nosso Satélite

Uma das questões sobre a ciência lunar que causa grandes debates é a realidade do chamado bombardeamento pesado final, ou na sigla em inglês LHB. Essa teoria propõem que a maior parte das bacias de impacto na Lua e as grandes crateras se formaram num furor de colisões ocorridas a aproximadamente 3.9 bilhões de anos atrás. Assim, bacias morfologicamente jovens como a Orientale e a Imbrium podem ser somente 10 milhões de anos mais jovens do que bacias mais degradadas como o Mar Serenitatis. A interpretação mais velha é que ocorreu um grande declínio na taxa de formação de crateras entre 4.4 e 3.9 bilhões de anos atrás isso daria centenas de milhões de anos de diferença entre as bacias. Dois diferentes tipos de evidências foram apresentados na Lunar & Planetary Science Conference em Houston em Março de 2011 sobre a questão LHB. No primeiro trabalho mostrado abaixo os cientistas alemães M.Fischer-Gödde e H. Becker determinaram pela primeira vez a idade precisa por meio da datação Re-Os do material derretido por impacto e amostrado pelos astronautas da Apollo 16, mais precisamente eles analisaram a amostra chamada de 67935 que foi coletada no anel da cratera North Ray. A datação radiométricas Re-Os (Rênio-Ósmio) é difícil de ser feita mas é menos afetada pelos últimos eventos de choque do que acontece com a datação Ar-Ar que dataram a amostra 67935 com 3.9 bilhões de anos. A nova idade obtida com a dataçãoo Re-Os deu uma idade de 4.21 bilhões de anos, mais ou menos 0.13 bilhões de anos, fazendo com que a Bacia Nectaris seja 300 milhões de anos mais velha do que a Imbrium. No segundo trabalho mostrado abaixo os autores Paul Spudis, Don Wihelms e Mark Robinson adotaram uma abordagem diferente para entender a idade do Mar Serenitatis, uma bacia morfologicamente antiga. Eles usaram mosaicos obtidos pela câmera WAC da sonda LRO para examinar em detalhe as chamadas Colinas Sculptured localizadas entre o Mar Serenitatis e o Mar Crisium. A resolução melhorada das imagens levou os autores a reconhecerem que os depósitos das colinas estão sobrepostos a antigas crateras formadas depois do Serenitatis e por isso não podem ser resultado do material ejetado na formação desse mar. O material derretido por impacto e amostrado pela missão Apollo 17 que tem idade da Imbrium deve ser na verdade resultado do material ejetado pela Imbrium e não pela Serenitatis, removendo assim a evidência de que o Mar Serenitatis se formou essencialmente na mesma época do Imbrium. De fato, o material derretido por impacto coletado pelas missões Apollo 16 e Apollo 17 não podem ser confidencialmente relacionados como vindos do Nectaris ou do Serenitatis e assim nós não temos idades convincentes para essas bacias. Mas parece que algumas das principais evidências para o evento LHB desapareceram.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/July+4%2C+2011

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.