A Intrigante Cratera Ryder No Lado Oculto da Lua

A Cratera Ryder, não é totalmente redonda, ela tem 17km de diâmetro no seu eixo maior, por 13 km de diâmetro no seu eixo menor, mas o que chama a atenção na cratera, é o grande deslizamento de terra que é claramente visto no lado leste da cratera. A cratera está localizada na Bacia Aitken do Polo Sul da Lua, a famosa SPA, que é uma gigantesca bacia com 2500 km de diâmetro e possivelmente a bacia mais velha da Lua com cerca de 4.3 bilhões de anos de idade. Isso quer dizer que a Cratera Ryser, se localiza no lado oculto da Lua.

Devido a sua forma estranha, muitos questionam se a Ryder seria uma única cratera ou duas crateras. Essa forma distinta da cratera pode ter se formado quando um bólido bateu na Lua com um ângulo de 15 graus com relação ao horizonte, ou quando um asteroide se partiu em dois pouco antes do impacto, o que é visto em outros pontos do nosso satélite. Porém existe um fator importante a ser considerado aqui, a Ryder se formou num terreno íngreme, e nesse tipo de terreno pode sim ocorrer a formação de crateras assimétricas.

Esse terreno íngreme, onde a Ryder se formou, é na verdade o anel degradado de uma cratera mais antiga que tem 70 km de diâmetro, com uma queda vertical de mais de 3000 metros, desde o topo do seu anel até o assoalho da cratera. Mesmo que essa cratera mais antiga possa ter sido afetada pelo terreno onde ela se formou, o seu anel leste parece ter se formado num alto topográfico, talvez relacionado com a bacia Aitken, deixando-o bem acima do anel oeste. Então, o bólido que formou a a Ryder, bateu no ponto mais alto do anel da cratera mais antiga, e nesse caso não é difícil de imaginar mesmo o formato final da Cratera Ryder, que foi drasticamente afetado pelo encontro do bólido com esse talude íngreme. O ponto mais alto do anel da Cratera Ryder está a aproximadamente 1500 metros acima do ponto mais baixo do seu anel.

A Cratera Ryder recebeu esse nome em homenagem a Graham Ryder, um cientistas lunar que trabalhou no Lunar and Planetary Institute e no Johnson Space Center da NASA, revelando os segredos da geologia lunar através de análises detalhadas das amostras trazidas para a Terra, pela missão Apollo. Dado à sua única e importante contribuição par aa ciência lunar, é mais do que justo que uma crateras intrigante como o Ryder, receba o seu nome.

Fonte:

https://www.lroc.asu.edu/posts/1141

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo