fbpx
27 de setembro de 2021

A Impressionante Nuvem Molecular Escura Barnard 68

Onde foram parar todas as estrelas? O que algumas vezes já foi considerado como sendo um buraco no céu, agora é conhecido pelos astrônomos como uma nuvem molecular escura. Aqui, uma alta concentração de poeira e gás molecular, absorve praticamente toda a luz visível emitida pelas estrelas que estão no background. As regiões escuras ao redor ajudam a fazer com que o interior de nuvens moleculares sejam um dos locais mais frios e mais isolados do universo. Uma dessas nebulosas escuras de absorção mais conhecidas de todo o céu é mostrada na imagem desse post. Ela fica na constelação de Ophiuchus e é conhecida como Barnard 68. Não tem nenhuma estrela visível no centro, o que indica que a Barnard 68 é relativamente próxima, com algumas medidas indicando que ela fica a cerca de 500 anos-luz de distância da Terra, e que ela tem cerca de meio anos-luz de diâmetro. Não se sabe exatamente como nuvens moleculares como a Barnard 68 se formam, mas sabe-se que que nessas nuvens é onde se formam novas estrelas. De fato, a Barnard 68 por si só provavelmente em algum momento deve colapsar e formar um novo sistema estelar. É possível olhar através da nuvem usando para isso o comprimento infravermelho do espectro eletromagnético. Abaixo, podemos ver uma imagem dessa mesma nuvem molecular, feita pelo instrumento SOFI, acoplado no NTT do ESO, um telescópio que tem 3.5 metros de diâmetro, é possível no interior da nuvem as estrelas bem avermelhadas, devido à quantidade de poeira.

Fonte:

[https://apod.nasa.gov/apod/ap201122.html]

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo