fbpx
30 de novembro de 2021

A Grande Nebulosa Carina

Uma joia do céu do sul, a Grande Nebulosa Carina também conhecida como NGC 3372, se espalha por 300 anos-luz e é considerada uma das maiores formações existentes na nossa galáxia, a Via Láctea. Do mesmo modo que a formação menor, mais ao norte, a Grande Nebulosa de Orion, a Nebulosa Carina é facilmente visível a olho nu, embora esteja localizada a uma distância de 7500 anos-luz, cinco vezes mais distante que a Grande Nebulosa de Orion. Esse retrato magnífico feito por meio de um telescópio revela detalhes marcantes dos filamentos brilhantes de gás interestelar da região e das nuvens de poeira escuras ali existentes. Mais largo que a Lua Cheia, em tamanho angular, o campo de visão se estica por aproximadamente 100 anos-luz de comprimento. A Nebulosa Carina é o lar de estrelas extremamente massivas e jovens, incluindo a ainda enigmática estrela variável Eta Carinae, uma estrela com 100 vezes a massa do Sol. A Eta Carinae é a estrela mais brilhante à esquerda, próximo da empoeirada Nebulosa Keyhole (NGC 3324). Enquanto que a estrela Eta Carinae está prestes a explodir como supernova, imagens feitas por meio da radiação de raios-X indica que a Grande Nebulosa Carina tem sido uma verdadeira fábrica de supernovas.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap110609.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo