A Evaporação De Um Cometa

De onde vem a cauda de um cometa? Na verdade não existe um lugar óbvio no núcleo dos cometas de onde partem os jatos para criar as caudas. Uma das melhores imagens já feitas, que mostram jatos emergindo de cometas, é essa imagem, apresentada nesse post, que foi feita em 2015, pela sonda Rosetta da Agência Espacial Europeia que orbitava o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. A sonda orbitou o cometa de 2014 até 2016. A foto acima mostra plumas de gás e poeira escapando de vários lugares no núcleo do cometa, à medida que ele se aproxima do Sol e é aquecido. O cometa possui dois lóbulos proeminentes, o maior deles tem cerca de 4 quilômetros e o menor, cerca de 2.5 km. Os dois lóbulos são conectados por uma região mais fina, denominada pelos cientistas, de pescoço. As análises feitas indicam que a evaporação precisa acontecer bem dentro da superfície do cometa, para que possa então criar os jatos de gelo e poeira que nós podemos ver sendo emitidos através da superfície do cometa. O cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, perde cerca de 1 metro de raio, através desses jatos, a cada 6.44 anos, que é o período de sua órbita ao redor do Sol, uma taxa que irá destruir completamente o cometa daqui a milhares de anos. No ano de 2016, a missão da sonda Rosetta terminou, com um impacto controlado na superfície do cometa, o evento foi transmitido pelo Space Today, e está abaixo.

Fonte:

https://apod.nasa.gov/apod/ap200127.html

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.