fbpx

A Diversidade Geológica do Local de Pouso do Robô Curiosity em Marte


Quem é geólogo irá entender perfeitamente esse post. Para quem não é, tentarei explicar aqui. Normalmente quando vamos fazer uma viagem de campo em geologia, para estudar um local novo, precisamos de ante mão conhecer um pouco daquele lugar, para podermos planejar essa viagem e o estudo de forma ótima. Bem, podemos dizer que no próximo dia 5/6 de Agosto de 2012, irá começar uma das maiores expedições geológicas do ser humano, mas essa expedição não será na Terra. Estamos aqui falando do pouso do robô Curiosity no solo marciano. Como preparativo para essa viagem os cientista já têm uma das ferramentas mais importantes para se conhecer uma região a ser explorada, o seu mapa geológico geral. No caso do local de pouso do Curiosity, esse mapa é mostrado na imagem acima, foi feito pela sonda Mars Odyssey Orbiter e mostra uma grande diversidade geológica que está deixando os cientistas cada vez mais ansiosos para essa missão. A imagem acima foi colorida de forma falsa a partir dos dados captados pelo instrumento conhecido como Thermal Emission Imaging System, ou THEMIS. Esse mapa integra dados topográficos com dados térmicos inertes que registram a habilidade que uma determinada superfície tem de se manter aquecida.

O desenho oval em amarelo mostra o alvo determinado como local de pouso do Curiosity.

No mapa geológico é possível ver um leque aluvial ao redor de uma cratera a noroeste do local do pouso. Uma série de linhas viajando para sudeste desde a cratera indicando que um material similar está se movendo talude abaixo. O material, que aparece na coloração verde azulada na imagem, também toma a forma de um leque.

Uma área em vermelho indica um material em superfície que mais cimentado do que a rocha ao redor e que provavelmente tem uma maior concentração de minerais. Uma atrativa interpretação para essa textura é que a água poderia ter estado presente ali em algum momento do passado geológico do Planeta Vermelho.

Espera-se que o Curiosity consiga cumprir a primeira parte da sua missão que será realizar um pouso perfeito dentro da grande cratera Gale. O anel de uma cratera menor, localizada dentro da cratera Gale pode ser visto na parte inferior direita da imagem.

Fonte:

http://Photojournal.jpl.nasa.gov/catalog/PIA15690

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .