fbpx
26 de fevereiro de 2024

A Dicotomia Da Crosta Da Lua A Transforma Num Belo Alvo de Observação E Estudo


Quando se observa a Terra do espaço sobre o Havaí, por exemplo, você não vê nada além de água, ou seja, desse ponto de vista a Terra parece mesmo ser um planeta água. A imagem acima, mostra uma Lua com 24 dias depois de ter passado pela fase de Lua Nova e revela também, que dependendo do ponto de vista a Lua é Mundo de Mares. Uma características peculiar da Lua é que ela possui uma dicotomia com relação a sua crosta. O chamado lado escuro da Lua (lado esse que sempre fica voltado contra a Terra) e parte do hemisfério sul do lado visível da Lua são quase que exclusivamente antigas terras altas, caracterizadas por um ambiente montanhoso e repleto de crateras. O quadrante noroeste do lado visível da Lua e algumas áreas próximas são dominadas por mares de lavas. Várias ideias têm sido propostas para explicar a concentração desses mares de lavas, que provavelmente está relacionada com o chamado terreno KREEP, rico em materiais radioativos. A Lua seria um objeto muito chato de se estudar e observar se ela só tivesse terrenos semelhantes aos encontrados nas terras altas. E seria também monótona de se observar se só tivesse mares de lavas. Podemos dizer que nós temos o melhor de cada mundo, ou no mínimo os dois lados de um mesmo mundo. Claro que muitos ainda gostariam que a Lua tivesse tido seu eixo travado uns 10? mais para leste, assim seria ainda possível estudar, da Terra, parte da famosa Bacia Orientale.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/December+20%2C+2011


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo