fbpx
23 de fevereiro de 2024

A Busca Por Crateras Com Depósitos de Material Derretido na Lua


Você quer descobrir algo na Lua que ninguém tenha visto antes? Todas as crateras no nosso satélite criam material derretido pelo impacto quando são formadas, sendo que a quantidade aumenta com o diâmetro da cratera. Assim, em 1977 B. Ray Hawke e Jim Head publicaram uma lista das crateras com material derretido por impacto em seus interiores e fora de seus anéis. Hoje em dia, os astrônomos amadores tem a oportunidade de atualizar essa lista, usando para isso os belos mosaicos produzidos pela câmera de grande angular da sonda LRO, por exemplo. O lado escuro da Lua, em 1977 era visto apenas a partir de um pequeno retalho de imagens, de modo que Hawke e Head (HH) notaram somente 13 crateras no lado escuro que tinham depósito de material derretido por impacto. Hoje, qualquer um pode pegar os mosaicos disponíveis online e procurar por essas crateras. Numa busca rápida, por exemplo, podemos citar pelo menos mais três crateras que poderiam fazer parte de uma lista HH atualizada. A imagem acima mostra a cratera Jackson, uma cratera grande com um brilhante sistema de raios e por isso considerada uma cratera jovem. As crateras mais velhas têm o seus depósitos de material derretido por impacto, degradados e quebrados pela chuva continua de bombardeamento de meteoroides. A cratera Jackson apresenta depósitos de material derretido por impacto ao longo de suas bordas sul, leste e nordeste e também possui quatro pequenos depósitos (marcados com pulsos pretos) em pontos baixos na cratera mais velha sobreposta pela Jackson a sudoeste. Dois outros depósitos estão a oeste. Assim sendo, além da Jackson, aqui explicada pode-se ainda adicionar na lista a cratera Ohm e a Mandel’shtam. Vocês agora podem ajudar a atualizar a lista HH, descobrindo e adicionando mais crateras com depósitos de material derretido pelo impacto. Uma boa estratégia para fazer esse tipo de descoberta é procurar por crateras brilhantes nos dados da sonda Clementine e então encontrar a cratera no Quick Map da LRO. Ou, se você preferir pode ficar vasculhando o Quick Map procurando por crateras que tenham um anel bem nítido. A descoberta só conta se ela entrar na página oficial de crateras com depósitos de material derretido pelo impacto. Pode-se imaginar que existam dezenas desse tipo de crateras esperando serem descobertas.

Fonte:

https://lpod.wikispaces.com/November+24%2C+2011


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo