5200 Toneladas de Poeira Extraterrestre Cai Na Superfície da Terra Por Ano

Em um estudo recém-publicado, um grupo internacional de pesquisadores apresentou os resultados de um estudo feito com uma grande coleção de partículas extraterrestres encontradas nas últimas duas décadas perto da estação franco-italiana CONCORDIA na Antártica.

Mais de um século depois da descoberta das esféricas cósmicas nos sedimentos do mar profundo, a origem, a composição e a magnitude da acreção de poeira cósmica na Terra, ainda é questão de muito estudo.

Estudos do fluxo de poeira têm sido realizados antes da entrada atmosférica, enquanto que na superfície da Terra, os pesquisadores trabalham com coleções de micrometeoritos derretidos ou não e que são encontrados em diversos locais como os desertos, as rochas sedimentares, as calotas polares e o fundo dos oceanos.

Embora todos esses estudos demonstrem que a massa anual de partículas extraterrestres que caem na Terra são de partículas sub-milimétricas, a massa precisa da distribuição das partículas são de poucas toneladas e elas são de certo modo integradas ao valor na superfície da Terra.

Os pesquisadores realizaram algumas coletas independentes de micrometeoritos nas amostras de neve na estação CONCORDIA localizada no Domo C, na região central da Antártica.

O Domo C é um local ideal para a coleta de material devido à baixa taxa de acumulação de neve e a ausência de poeira terrestre.

Assim, os pesquisadores conseguiram identificar um total de 1280 micrmoeteoritos não derretidos e 808 esférulas cósmicas com diâmetro entre 30 e 350 micrômetros e analisaram essas amostras usando técnicas de escaneamento por microscopia eletrônica.

Com esse tamanho, os pesquisadores mediram o fluxo de massa como sendo de 3.0 microgramas por metro quadrado por ano para micrometeoritos e de 5.6 para esférulas cósmicas.

Com isso foi possível extrapolar para um fluxo global de partículas entre 12-700 micrômetros de diâmetro, e assim estimar o fluxo de massa de material que cai na Terra, em 5200 toneladas por ano, sendo 1600 toneladas por ano de micrometeoritos e 3600 toneladas por ano de esférulas.

Esse fluxo total de massa de partículas extraterrestres na superfície da Terra é importante para muitas questões geofísicas e astrofísicas. As simulações numéricas sugerem que a maior parte dos micrometeoritos e das esférulas cósmicas têm suas origens na família de cometas de Júpiter e uma pequena parte do Cinturão de Asteroides Principal do Sistema Solar.

A massa total de poeira que chega perto da Terra, antes de passar pela entrada atmosférica foi estimada em 15 mil toneladas por ano.

Fonte:

[http://www.sci-news.com/space/extraterrestrial-dust-flux-09546.html]
Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.