Um Dilema Chamado Plutão: Planeta ou Planeta Anão? – Space Today TV Ep.1454

Space Today
11 set 2018

——————————————————————–

**** CONHEÇA A LOJA OFICIAL DO SPACE TODAY!

http://www2.spacetodaystore.com

Camisetas, e muitos produtos para vocês. Visite!

——————————————————————————-

Para fazer parte do seleto grupo dos apoiadores!!!

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

—————————————————————————–

Em 2006, a União Astronômica Internacional, em votação, decidiu rever o significado de planeta.

Isso aconteceu, muito devido às descobertas de um grande número de objetos no Cinturão de Kuiper, do qual Plutão é como se fosse sua porta de entrada.

Além do fato de ser esférico e orbitar o Sol, o planeta deve ter a sua órbita limpa, ou seja, não deve compartilhar a sua órbita com outros objetos que rivalizam em tamanho com ele.

Com base nisso, Plutão, foi reclassificado como Planeta Anão, e desde então teve início uma grande discussão sobre isso.

DISCLAIMER: Plutão não está nem aí como ele é chamado, isso é apenas uma convenção, se tudo for planeta, imagina quantos milhares de nomes de planetas nossos filhos e netos terão que decorar, por outro lado, como eu falo, se um anão é uma pessoa, um planeta anão é um planeta.

Como essa pequena treta astronômica ainda rende muito, um pesquisador chamado Philip Metzger do Florida space Insitute, resolveu apimentar mais a discussão e publicou um artigo na revista Icarus, sobre a classificação de Plutão.

O artigo dele é baseado numa busca bibliográfica que ele fez onde somente em em um artigo em 1802 é mencionado o fato da órbita ter que ser limpa para ser um planeta.

Além disso ele conta que a divisão, por exemplo, entre planeta e asteroide, veio na década de 1950, quando Gerard Kuiper fez a distinção entre os dois objetos com base na formação.

Metzger diz então que a classificação da UAI é errada pois na literatura o fato de ter a órbita limpa não é considerado como um padrão para definir se um objeto é um planeta ou asteroide.

Ele defende que a classificação deveria ser feita com base em propriedades intrínsecas do objeto e não apenas na dinâmica de sua órbita.

Em defesa dessa tese, Plutão é um mundo muito complexo, ele possui provavelmente um ocenao em subsuperfície, possui uma atmosfera complexa dividida em múltiplas camadas, possui compostos orgânicos, antigos lagos e múltiplos satélites.

Por exemplo, Plutão é mundo muito mais dinâmico do que Marte por exemplo.

Talvez, nem os cientistas esperassem que Plutão seria um mundo tão complexo assim, até 2015 quando a New horizons passou por lá, talvez a maioria dos cientistas esperassem encontrar um undo sem graça, e todos os dados da New horizons surpreenderam e muito os pesquisadores, e talvez, a partir de 2015 essa discussão se tornou ainda mais calorosa.

Bem, não temos muito o que discutir já que a decisão foi tomada pela UAI, mas na minha singela opinião de geofísico, eu acho que deveríamos olhar para outras propriedades, e acho que a New horizons nos apresentou um mundo totalmente novo, um objeto praticamente ativo geologicamente falando, com uma atmosfera complexa e por esse motivo poderiam rever a classificação de planetas incluindo outros requisitos e não somente as propriedades orbitais.

#Plutão

Fonte:

http://www.sci-news.com/astronomy/pluto-planet-status-06390.html

Artigo:

https://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1805/1805.04115.pdf

Artigo do Herschel:

http://rstl.royalsocietypublishing.org/content/92/213.full.pdf+html

Artigo do Kuiper:

http://adsabs.harvard.edu/full/1950AJ…..55..164K

Comentários

© 2014 Space Today | Todos os direitos reservados.