image_3727e-Quasar

Quasares Antigos Reduziram a Taxa de Formação de Estrelas no Universo a 11 Bilhões de Anos Atrás

Space Today
24 mar 2016

Users who have LIKED this post:

  • avatar

image_3727e-Quasar

Os pesquisadores parecem ter uma explicação para uma questão de longa data na astrofísica: por que a formação de estrelas no universo diminuiu a 11 bilhões de anos atrás?

As galáxias atingiram o seu ápice na formação de estrelas a cerca de 11 bilhões de anos atrás, e então essa taxa de formação começou a ficar mais lenta.

Essa questão que vem atormentando os astrofísicos por muitos anos, parece ter uma resposta hoje. A resposta pode estar na energia dos quasares dentro das galáxias onde as estrelas estão nascendo. A intensa radiação e os ventos em escala galáctica emitidos pelos quasares aqueceram as nuvens de gás e poeira. O calor evita que o material esfrie e forme nuvens mais densas, e eventualmente estrelas.

Para chegar a essa conclusão, os cientistas observaram 17468 galáxias e descobriram um traçador de energia, conhecido como Efeito Sunyaev-Zel’dovich, ou Efeito SZ.

O fenômeno que recebeu esse nome em homenagem aos dois físicos que previram esse efeito a aproximadamente 50 anos atrás, aparece quando os elétrons de alta energia, perturbam a Radiação Cósmica Micro-ondas de Fundo, ou a CMB, uma radiação remanescente do nascimento superaquecido do universo a 13.7 bilhões de anos atrás.

Os níveis de energia térmica foram analisados para ver se eles surgiam acima do que era previsto para pararem com a formação das estrelas. Um grande número de galáxias foi estudado para dar ao estudo uma confiabilidade estatística.

Para que o feedbak de energia possa parar a formação de estrelas, ele precisa acontecer de maneira vasta no universo. Para realizar essas medidas de temperaturas que mostrassam o efeito SZ, a equipe usou informações adquiridas por dois telescópios, um telescópio óptico no Apache Point Observatory no Novo México e o Atacama Cosmology Telescope no norte do Chile, e o instrumento Spectral and Photometric Imaging Receiver, ou SPIRE, a bordo do Herschel Space Observatory da ESA.

A utilização de vários instrumentos com diferentes intensidades na pesquisa do Efeito SZ é algo relativamente novo. Esse é um tipo diferente de termômetro.

Essa, embora não seja uma descoberta totalmente conclusiva, pois serão necessárias mais análises, pode ser a primeira evidência observacional convincente da presença do feedback de energia dos quasares, quando o universo tinha somente um quarto da sua idade atual, quando a formação de estrelas no universo, era algo mais vigoroso.

Evidence for the_thermal_sunyaev-zeldovich_effect_associated_with_quasar_feedback from Sérgio Sacani

Fonte:

http://www.sci-news.com/astronomy/ancient-quasars-slowed-star-formation-03727.html

alma_modificado_rodape105

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Tumblr

Comentários