Confirmado o Jato Relativístico Da Fusão de Estrelas de Nêutrons – Space Today TV Ep.1450

Space Today
8 set 2018

——————————————————————–

**** CONHEÇA A LOJA OFICIAL DO SPACE TODAY!

http://www2.spacetodaystore.com

Camisetas, e muitos produtos para vocês. Visite!

——————————————————————————-

Para fazer parte do seleto grupo dos apoiadores!!!

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

—————————————————————————–

Em Agosto de 2017, fomos surpreendidos pelo anúncio da detecção de uma onda gravitacional que havia gerado a sua contrapartida eletromagnética.

A famosa GW170817, foi uma onda gravitacional gerada a partir da fusão de duas estrelas de nêutrons, um evento até então nunca antes observado.

A fusão entre as duas estrelas de nêutrons aconteceu em uma galáxia, localizada a 130 milhões de anos-luz de distância da Terra.

Como teve a contrapartida eletromagnética, uma grande quantidade de observatórios ao redor do mundo pôde estudar como a onda muda com o relação ao tempo e esse estudo fornece informações importantes sobre a origem delas.

Uma das questões sobre esse evento é se a fusão havia gerado um jato estreito e com velocidade relativístico.

A importância da detecção desse jato é que eles são os jatos que deveriam ser produzidos no tipo de fusão de estrelas de nêutrons que os astrônomos falaram que aconteceu e que produziram a explosão de raios-gama detectada por eles.

Ou seja, eles seriam meio que a confirmação que a onda gravitacional detectada na Terra foi mesmo gerada pela fusão de duas estrelas de nêutrons.

Os astrônomos então acionaram os rádio telescópios espalhados pelo mundo e começaram uma grande campanha de observação.

Eles conseguiram observar o jato 75 dias depois do evento e 230 dias depois do evento.

O jato era muito estreito com cerca de 5 graus de largura.

Mas o mais impressionante foi a velocidade, num primeiro momento em que foi medido o movimento, chegaram a um valor 4 vezes maior que a velocidade da luz.

Mas essa é uma ilusão que ocorre quando o jato está apontado praticamente na direção da Terra e o material no jato está se movendo perto da velocidade da luz.

O jato na verdade tinha uma velocidade que era superior a 97% da velocidade da luz, por isso um jato relativístico.

Para produzir esse jato de material, a fusão inicial das duas estrelas de nêutrons causou uma explosão que expeliu uma concha esférica de detritos.

As estrelas de nêutrons colapsaram em buracos negros cuja gravidade começou a puxar o material em sua direção.

O material formou um disco ao redor do buraco negro que gerou um par de jatos expelidos a partir dos polos.

O jato então interagiu com os detritos formando um casulo de material em expansão.

O casulo dominou a emissão em ondas de rádio até 60 dias depois da fusão e depois disso a emissão foi dominada pelos jatos.

A detecção desse jato é de suma importância, pois fortalece e muito a conexão entre a fusão de estrelas de nêutrons e as explosões de raios-gama de curta duração.

Por isso que quando as ondas gravitacionais foram detectadas pela primeira vez, se falou que elas iriam revolucionar a astronomia e o entendimento do universo.

Esses jatos são fenômenos extremamente complexos e raros de serem observados, mas são eles que serão usados para explicar os objetos mais extremos e mais enigmáticos do nosso universo.

Os dados obtidos na onda gravitacional GW 170817 continurão sendo estudados e sempre que novidades e descobertas forem publicadas eu trago aqui para vocês.

Fonte:

https://phys.org/news/2018-09-radio-superfast-jet-material-neutron.html

Comentários

© 2014 Space Today | Todos os direitos reservados.