OneSpace: Empresa Espacial Privada Chinesa Lança Seu Primeiro Foguete

Space Today
17 maio 2018

Um foguete suborbital foi lançado no espaço na quinta-feira, dia 17 de Maio de 2018,  por uma empresa iniciante na florescente indústria aeronáutica comercial da China, enquanto firmas privadas atacam os concorrentes americanos dominantes.

OneSpace, a empresa de Pequim por trás do lançamento, é uma das dezenas de rivais chineses disputando uma fatia da indústria espacial global, estimada em cerca de US $ 339 bilhões pelo Bank of America Merrill Lynch e atualmente dominada pela SpaceX e Blue Origin em os EUA.

O foguete “Chongqing Liangjiang Star”, de nove metros de comprimento, decolou de um campo de teste não revelado no noroeste da China e atingiu uma altitude de 273 quilômetros antes de cair de volta à Terra, informou a empresa em comunicado.

O lançamento teve como objetivo demonstrar um modelo de trabalho inicial da série de foguetes OS-X da empresa, projetado para conduzir pesquisas ligadas a vôos suborbitais.

Até o final da década, o OneSpace espera construir 20 dos foguetes OS-X, que seriam capazes de colocar uma carga de 100 quilos em uma órbita a 800 quilômetros da superfície da Terra, disse o porta-voz da empresa, Chen Jianglan.

A empresa também está desenvolvendo outro tipo de foguete, a série M, para competir no crescente setor de microssatélites.

Esses pequenos satélites normalmente não são maiores do que uma caixa de sapatos e são usados ​​para monitorar plantações, padrões climáticos ou locais de desastre ou usados ​​por universidades para fins de pesquisa, segundo Jonathan McDowell, astrônomo do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics.

Os microssatélites são mais baratos de construir e mais fáceis de implantar do que as versões tradicionais de satélites que são enormes e pesados, e o seu lançamento tornou-se um mercado cada vez mais lucrativo, atualmente dominado pelo programa espacial indiano.

As start-ups aeroespaciais chinesas estavam evitando as ambições de viagens espaciais de seus rivais americanos para competir por esses lucrativos contratos de microssatélites, disse McDowell.

O trabalho da OneSpace atraiu a atenção de vários clientes nacionais e estrangeiros, disse Chen à AFP, acrescentando que “várias empresas de satélites na Europa e na Ásia se aproximaram de nós para estabelecer parcerias estratégicas”.

Uma vez dominada por agências de pesquisa estaduais e militares, a China permitiu que empresas privadas entrassem na indústria espacial para construir e lançar satélites em 2014.

Outra start-up chinesa, a iSpace, lançou um foguete suborbital, o Hyperbola-1S, de um campo de testes na ilha de Hainan, no sul do país, no mês passado.

O foguete atingiu uma altitude de 108 quilômetros e serviu como demonstração para o pequeno lançador planejado, que deve ser concluído em junho de 2019, segundo o site da empresa.

Uma porta-voz do iSpace insistiu que foi “a primeira empresa privada chinesa a lançar um foguete comercial”.
Mas o OneSpace mantém que seu foguete foi “projetado do zero” e tinha “recursos de controle mais fortes” do que o Hyperbola-1S.

Especialistas lançaram dúvidas sobre as alegações de ambas as empresas.

“A Onespace e a iSpace já puseram as mãos em mísseis chineses aposentados”, disse McDowell.

“Não tenho muita certeza se existe uma grande diferença entre o que a Onespace fez”.

Xin Zhang, professor de engenharia aeroespacial da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong, também emitiu uma nota de cautela.

“Eles podem ter pego um atalho”, disse ele, acrescentando que pode levar até uma década para desenvolver um foguete totalmente funcional.

A OneSpace foi fundada em 2015, enquanto a iSpace foi fundada há dois anos.

Fonte:

https://phys.org/news/2018-05-chinese-private-firm-space-rocket.html

Comentários

© 2014 Space Today | Todos os direitos reservados.

X
Conheça a Loja do SpaceToday!