Detecção encontra íons de metal na atmosfera marciana

Space Today
11 abr 2017

 

Por Yara Laiz Souza

A nave MAVEN, da NASA, descobriu que Marte tem átomos de metal eletricamente carregados (ou íons) em sua atmosfera segundo um novo estudo publicado pela agência. Esta é mais uma pista intrigante que nos levará cada vez mais fundo no passado de Marte e para tudo aquilo que ainda não conhecemos sobre o planeta vermelho.

“MAVEN fez a primeira detecção direta da presença permanente de íons metálicos na ionosfera de um planeta diferente da Terra”, disse Joseph Gregowsky, do NASA Goddard. “Os íons tem vida longa e são transportados longe de sua região de origem por ventos neutros e campos elétricos; podem ser usados para inferir movimentos na ionosfera (…)”.

Já temos um conhecimento bastante completo sobre como a atmosfera de Marte foi perdida para o espaço por conta das partículas de vento solar. Agora, a MAVEN está explorando a parte superior da atmosfera marciana para tentar entender como que ela perdeu suas características principais para suportar a vida que conhecemos.

Até então, a presença de metal na atmosfera está sendo explicada através da colisão de meteoros no planeta vermelho. Quando há  uma entrada a alta velocidade na atmosfera marciana, parte dele vaporiza. Assim, os átomos de metal na trilha de vapor conseguem obter alguns elétrons arrancados por outros átomos e moléculas carregadas na ionosfera, transformando os átomos de metal em íons (partículas eletricamente carregadas).

A detecção feita pela MAVEN, além dos íons de metal, também encontrou magnésio e sódio na parte mais superior da atmosfera marciana. Há cerca de dois anos que a nave vêm fazendo esse reconhecimento utilizando o seu instrumento de gás neutro e espectrômetros de massa de íons.

Como há pedaços de rochas espalhadas por todo o sistema solar e as colisões com estes objetos é bastante comum, os cientistas acreditam que outros planetas também podem ter íons de metal em suas atmosferas.

O comportamento das atmosferas marciana e terrestre é bastante diferente e este foi um dos motivos que levaram a equipe a mergulhar mais afundo no estudo da atmosfera marciana. Aqui na Terra, estamos cercados por um campo eletromagnético gerado no interior do planeta e este campo juntamente com outras atividades diversas na atmosfera acaba forçando os íons de metal a se estabelecerem nas mais variadas camadas da atmosfera terrestre.

Marte não tem um campo eletromagnético que funcione às mil maravilhas. Entender sobre os íons de metal por lá ajudará os cientistas a desvendarem mais sobre os motivos que levaram Marte a ser como é. Além disso, é válido comparar resultados para também nos ajudar a entender muito mais sobre o comportamento do nosso planeta e ir mais fundo na questão de geração de vida por aqui.

Veja mais: https://www.nasa.gov/press-release/goddard/2017/metal-mars

 

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on Tumblr

Comentários